Finanças

Bancos aceitarão novas aplicações como garantia para empréstimos


A ideia é reduzir o risco de crédito para as instituições, que poderão praticar taxas de juros menores a empresas no futuro


  Por Agência Brasil 26 de Agosto de 2016 às 17:28

  | Agência de notícias da Empresa Brasileira de Comunicação.


O Diário Oficial da União publicou nesta sexta-feira (26/08) circular do Banco Central (BC) com novas regras que podem ajudar na recuperação do crédito no país.

A partir de janeiro de 2017, os bancos poderão aceitar novas aplicações financeiras para reduzir o risco de empréstimos. Com menor risco, os bancos poderão oferecer juros menores no futuro.

Atualmente, os bancos podem aceitar títulos, ações, avais fianças e derivativos de crédito para reduzir o risco das operações.

Com a mudança, também poderão ser aceitos certificados de operações estruturadas, Letras de Crédito Imobiliário (LCI), Letras de Crédito do Agronegócio (LCA) e títulos de crédito de instituição não financeira.

Com essa medida, o risco para o banco diminui e o BC exigirá menos reserva de capital da instituição financeira para fazer a operação de crédito.

O BC informou que o saldo de todas as operações de crédito concedido pelos bancos caiu 0,4%, em julho e 3,2% no ano.

No mês anterior, o saldo ficou em R$ 3,115 trilhões. Com a queda ao longo deste ano, o chefe do Departamento Econômico do BC, Tulio Maciel, disse que a projeção de crescimento do crédito de 1%, em 2016 deve ser revisada para baixo.

EFEITO

O Banco Central informou que tentou fazer um estudo de impacto sobre as mudanças aos indicadores de solvência dos bancos e a avaliação é de que não há um efeito imediato.

A avaliação geral é a de que, na medida em que as instituições financeiras forem usando as novas regras definidas, o requerimento de capital tende a baixar e, de acordo com o BC, a taxa de juros também poderá ser menor.

Na prática, o tomador de empréstimos precisa dar algo em garantia. Se entregar estes instrumentos listados pelo BC em garantia, será possível obter uma taxa mais baixa.

Isso, de acordo com a autoridade monetária, vale tanto para empresas que tomam empréstimos em bancos quanto para as famílias.

De acordo com o BC, o impacto sobre as taxas de juros tende a ser mais comum nos empréstimos a empresas. Mas há casos em que um indivíduo, com uma aplicação, poderá utilizá-la como garantia para operação de crédito.

IMAGEM: Thinkstock






Publicidade





Publicidade







Publicidade