Economia

Vitória da oposição na argentina faz dólar disparar e chegar a quase R$ 4


Alberto Fernández obteve 47,65% dos votos nas eleições primárias de domingo, contra 32,08% do presidente Maurício Macri, que tenta a reeleição


  Por Agência Brasil 12 de Agosto de 2019 às 18:49

  | Agência de notícias da Empresa Brasileira de Comunicação.


O resultado das eleições primárias na Argentina refletiu-se no mercado financeiro brasileiro. O dólar comercial fechou esta segunda-feira, 12/08, vendido a R$ 3,984, com alta de R$ 0,042 (1,06%).

Esse foi o maior valor para a divisa desde 28 de maio (R$ 4,02).

No mercado de ações, o Índice Ibovespa, da B3 (antiga Bolsa de Valores de São Paulo), também teve um dia turbulento e encerrou aos 101.915 pontos, com desvalorização de 2%.

O mercado financeiro da região atravessa momentos de volatilidade, após o candidato da oposição às eleições presidenciais argentinas, Alberto Fernández, ter obtido 47,65% dos votos na votação primária de ontem (11), contra 32,08% do presidente Alberto Macri, que tenta a reeleição.

O índice Merval, da Bolsa de Buenos Aires, caiu 37,93% apenas nesta segunda-feira, na maior queda diária no mercado de ações na história do país.

Ao longo do dia, o dólar chegou a superar a barreira de 60 pesos argentinos, mas fechou em 52,14 pesos.

A moeda do país vizinho desvalorizou-se 14,99% somente hoje.

Para conter a saída de capitais, o Banco Central da Argentina aumentou os juros básicos do país para 74% ao ano.

O risco país argentino, que mede a probabilidade de o país dar calote na dívida pública, encerrou esta segunda-feira em 1.936 pontos, contra 1.017 pontos de sexta-feira (9).

MAGEM: Thinkstock