Economia

Serviços crescem em julho por efeito calendário


Alta foi de 1,8%, sobre o mesmo mês do ano passado, de acordo com o IBGE. Com lenta recuperação, setor poderia ganhar “tração” com novas reduções da taxa SELIC e com a recuperação da confiança dos empresários


  Por Instituto Gastão Vidigal 12 de Setembro de 2019 às 18:07

  | Da equipe de economistas da Associação Comercial de São Paulo (ACSP)


O volume de serviços prestados em julho apresentou crescimento moderado em julho, contrastando com a queda na indústria e a elevação surpreendente das vendas do varejo.

O setor continua apresentando lenta recuperação, que poderia ganhar “tração” com novas reduções da taxa básica de juros (SELIC) e com a recuperação da confiança dos empresários, à medida em que se avance nas reformas estruturais prioritárias para o País.

NÚMEROS

Em julho, o volume total de serviços prestados apresentou alta de 1,8%, sobre o mesmo mês do ano passado, segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O segmento de  transportes, que é o mais importante da amostra utilizada pela PMS, foi o único dos cinco considerados que mostrou queda, mantendo-se a mesma base de comparação. No acumulado de 12 meses, houve aumento de 0,9%, levemente superior à leitura anterior (0,7%).

O aumento em relação a julho de 2018 se explicaria fundamentalmente pelo efeito estatístico positivo associado à existência de um dia útil a mais neste ano.

O setor ainda se ressente da precária evolução da indústria, principalmente no caso dos transportes de carga, e da baixa demanda por parte das famílias, num contexto de elevado desemprego e informalidade crescente.