Economia

Refeição fora de casa pressionou índice de preços em 2014


Esse item acumulou alta de 8,85% no ano passado e respondeu por 0,60 ponto porcentual de toda a taxa de inflação captada no período pela FGV


  Por Estadão Conteúdo 10 de Janeiro de 2015 às 00:00

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


O item Refeições em Bares e Restaurantes liderou o ranking de pressões de alta do Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) em 2014. A informação é do coordenador do indicador da Fundação Getulio Vargas (FGV), Paulo Picchetti, que chamou a atenção para a maior participação de componentes do grupo Serviços no IPC-S do ano passado.

De acordo com Picchetti, o item citado acumulou alta de 8,85% em 2014 e respondeu por 0,60 ponto porcentual de toda a taxa de inflação captada no período pelo IPC-S, de 6,87%, que foi a maior da série iniciada pela FGV. Em 2013, o indicador geral havia acumulado alta de 5,63%.

A segunda colocação no ranking de pressões de alta do IPC-S de 2014 ficou com o item Tarifa de Eletricidade Residencial, que subiu 14,74% no período e respondeu por 0,39 ponto porcentual da taxa geral apurada. Em terceiro, ficou o Aluguel Residencial, com elevação acumulada de 7,74% e impacto de 0,34 ponto porcentual

Na quarta posição, o item Plano e Seguro de Saúde subiu 8,72% no ano passado e representou 0,32 ponto porcentual da taxa geral. Foi seguido, na quinta colocação, pelo item Condomínio Residencial, cuja variação positiva acumulada foi de 7,93% em 2014 e o impacto foi de 0,19 ponto porcentual para a inflação. Com a mesma contribuição da parte de Condomínio Residencial, ficou o item Empregada Doméstica Mensalista, que avançou 8,29% no ano passado.

Na sétima posição, o item Automóvel Novo apresentou alta acumulada de 5,58% e respondeu por 0,18 ponto porcentual de toda taxa do IPC-S de 2014. Foi seguido, no oitavo lugar, pelo item Mão de Obra para Reparos em Residência, com alta de 9,20% e impacto de 0,16 ponto porcentual.

Na nona colocação, ficou o item Salão de Beleza, com aumento de 10,86% e participação de 0,15 ponto porcentual na inflação geral. Com o mesmo impacto, ficaram os itens Serviço de Reparo em Automóvel (alta de 10,18%) e Sanduíches (elevação de 10,93%).
Na ponta contrária do ranking distribuído por Picchetti, o item Tarifa de Telefone Residencial foi o que mais aliviou o IPC-S de 2014, já que apresentou baixa acumulada de 3,19% e gerou contribuição negativa de 0,05 ponto porcentual. Em segundo lugar, ficou o item Leite Tipo Longa Vida, com declínio de 3,56% e alívio de 0,03 ponto porcentual para a inflação.

Da terceira à sétima colocação cinco itens geraram contribuição negativa de 0,01 ponto porcentual para o IPC-S do ano passado: Tomate (queda de 5,23%), Banana Prata (recuo de 4,68%), Farinha de Mandioca (redução de 23,36%), Aparelho de TV (variação negativa de 2,97%) e Feijão Preto (baixa de 7,29%).