Economia

Prévia da inflação aponta alta de 0,58% em outubro


O IPCA-15, divulgado pelo IBGE, acumula alta de 3,83% no ano


  Por Estadão Conteúdo 23 de Outubro de 2018 às 10:00

  | Agência de notícias do Grupo Estado


O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15) registrou alta de 0,58% em outubro, após ter avançado 0,09% em setembro, informou na manhã desta terça-feira, dia 23/10, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Com o resultado agora anunciado, o IPCA-15 acumulou um aumento de 3,83% no ano. Nos 12 meses encerrados em outubro, o indicador ficou em 4,53%, de acordo com o IBGE. As projeções, neste caso, iam de avanço de 4,33% a 4,63%, com mediana de 4,58%.

EXPECTATIVA DO CONSUMIDOR

A mediana da inflação esperada pelos consumidores para os próximos 12 meses ficou em 5,7% em outubro ante 5,6% em setembro, segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), que divulgou o Indicador de Expectativa de Inflação dos Consumidores. Em relação ao mesmo período do ano passado, houve recuo de 0,7 ponto porcentual no indicador.

"O resultado mostra ao longo dos últimos meses uma expectativa de inflação dos consumidores bem ancorada. Apesar de uma elevação das expectativas do mercado para o próximo ano, o consumidor continua mantendo suas expectativas de inflação estáveis. Excelente notícia, uma vez que o período eleitoral está acabando e não ocorreu nenhum choque de preços relevante", avaliou o economista Pedro Costa Ferreira, do Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV), em nota.

Na distribuição por faixas de inflação, 57,1% dos consumidores projetaram uma taxa dentro dos limites de tolerância da meta de inflação de 4,5% estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional para este ano, ou seja, entre 3% e 6%. No mês anterior, esse porcentual era de 57,6% dos consumidores.

A proporção de consumidores indicando inflação abaixo do limite inferior de 3% recuou de 8,4% em setembro para 6,4% em outubro.

A expectativa de inflação caiu para todas as faixas de renda em outubro, exceto para famílias que recebem entre R$ 2.100,01 e R$ 4.800,00, com aumento de 0,4 ponto porcentual, puxando a taxa global no mês.

O Indicador de Expectativa de Inflação dos Consumidores da FGV é obtido com base em informações da Sondagem do Consumidor, que ouve mensalmente mais de 2,1 mil brasileiros em sete das principais capitais do País. Aproximadamente 75% dos entrevistados respondem aos quesitos relacionados às expectativas de inflação.

 

IMAGEM: Thinkstock