Economia

Preços na saída de fábrica em setembro têm segunda maior alta


IPP acumula 14,02% no ano e 18,2% em 12 meses, de acordo com o IBGE


  Por Agência Brasil 26 de Outubro de 2018 às 10:10

  | Agência de notícias da Empresa Brasileira de Comunicação.


O Índice de Preços ao Produtor (IPP), que mede a variação de preços de produtos industrializados na de saída das fábricas, registrou inflação de 2,93% em setembro. A taxa ficou acima do 0,86% de agosto passado e do 1,48% de setembro de 2017.

Segundo dados divulgados nesta sexta-feira (26/10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o IPP acumula 14,02% no ano e 18,2% em 12 meses.

O IPP mede a evolução dos preços de produtos na "porta da fábrica", sem impostos e fretes, da indústria extrativa e de 23 setores da indústria de transformação.

 

A alta em setembro foi a segunda mais elevada de toda a série histórica, iniciada em dezembro de 2013, segundo o IBGE. O resultado é o mais acentuado desde setembro de 2015, quando os preços subiram 2,99%. Em setembro do ano passado, o IPP havia sido de 1,48%.

De agosto para setembro deste ano, entre as quatro grandes categorias econômicas, a maior inflação foi observada nos bens intermediários, isto é, os insumos industrializados usados no setor produtivo, cujos preços subiram 3,84%.

As demais categorias tiveram as seguintes taxas de inflação: bens de capital, isto é, as máquinas e equipamentos (1,82%), bens de consumo semi e não duráveis (1,78%) e bens de consumo duráveis (0,82%).

Ainda na comparação com agosto, os preços subiram em 22 das 24 atividades pesquisadas pelo IBGE, com destaque para indústrias extrativas (12,82%), refino de petróleo e produtos de álcool (7,44%) e outros produtos químicos (4,52%).

*Com Estadão Conteúdo