Economia

PIB cai 0,8% no terceiro trimestre, diz IBGE


É o sétimo trimestre seguido de retração da economia. No acumulado do ano até setembro, o PIB apresentou recuo de 4% em relação a igual período de 2015 -a maior queda desde 1996


  Por Agência Brasil 30 de Novembro de 2016 às 09:47

  | Agência de notícias da Empresa Brasileira de Comunicação.


O Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, fechou o terceiro trimestre do ano com queda de 0,8% em relação ao trimestre anterior.

Com isso, o país registra o sétimo trimestre seguido de retração da economia. Já no resultado acumulado do ano até setembro, o PIB apresentou recuo de 4% em relação a igual período de 2015, maior queda para este período desde o início da série em 1996.

Em valores correntes, o PIB alcançou R$ 1,580 trilhão. Os dados das Contas Nacionais Trimestrais foram divulgados nesta quarta (30/11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na análise dos subsetores da economia, a agricultura teve retração de 1,4% no período, a indústria caiu 1,3% e o setor de serviços registrou queda de 0,6%.

LEIA MAIS: Saldo da balança comercial reflete queda da atividade econômica

Os dados do IBGE mostram ainda que o consumo das famílias caiu 0,6% e o do governo, 0,3%. Já a Formação Bruta de Capital Fixo, que são os investimentos, recuou 3,1%.

BALANÇA COMERCIAL

Exportações e importações

As exportações contabilizadas no Produto Interno Bruto (PIB) diminuíram 2,8% no terceiro trimestre em relação ao segundo trimestre deste ano, segundo o IBGE. Na comparação com o terceiro trimestre de 2015, as exportações mostraram alta de 0,2%.

As importações contabilizadas no PIB, por sua vez, recuaram 3,1% no terceiro trimestre em relação ao trimestre anterior. Já na comparação com o terceiro trimestre de 2015, as importações caíram 6,8%.

A contabilidade das exportações e importações no PIB é diferente da realizada para a elaboração da balança comercial.

No PIB, entram bens e serviços, e as variações percentuais divulgadas dizem respeito ao volume. Já na balança comercial, entram somente bens, e o registro é feito em valores, com grande influência dos preços.

*Com Estadão Conteúdo

IMAGEM: Thinkstock






Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade




Publicidade



Publicidade




Publicidade