Economia

Pequenos negócios geraram 68% das vagas de emprego em fevereiro


Enquanto as micro e pequenas empresas criaram 275 mil vagas, as grandes e médias abriram 101,8 mil postos de trabalho, diz o Sebrae


  Por Agência Sebrae 05 de Abril de 2021 às 13:15

  | Informações do Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena empresa


Em fevereiro de 2021, as micro e pequenas empresas foram responsáveis pela geração de 68,5% dos empregos criados no Brasil, o que corresponde a um pouco mais de 275 mil vagas, mais do que o dobro dos postos de trabalho gerados pelas empresas de médio e grande porte, que foi de 101,8 mil.

Os dados constam em levantamento feito pelo Sebrae com base nos dados do Caged do Ministério da Economia.

No acumulado do ano, dos cerca de 611 mil empregos gerados no primeiro bimestre, 476,7 mil (72,26%) foram das micro e pequenas empresas, enquanto que as médias e grandes empresas criaram 134, 1 mil novas vagas.

Apesar dos fortes impactos da pandemia nesse segmento, esse quantitativo é superior ao total de empregos gerados em 2020, quando foram criados 301,9 mil novos postos de trabalho, o que representa um aumento de mais de 102%.

As MPE aumentaram a sua participação em 199.563 novas contratações contra 109.413 das MGE.

Setorialmente, os empregos nas micro e pequenas empresas seguem sendo puxados pelos segmentos de serviços (107.980 vagas), seguido pelo comércio (65.084 vagas) e indústria de transformação (63.963 vagas).

Nas médias e grandes empresas, o Comércio continua fechando postos de trabalho, acumulando, nesse bimestre, um saldo negativo de -24.626.

Mato Grosso, Goiás e Santa Catarina permanecem como as três Unidades da Federação que mais contrataram proporcionalmente. Amazonas segue como a única UF com mais desligamentos do que admissões em 2021. Esse saldo negativo é consequência do elevado número de demissões nas MPE.






Publicidade






Publicidade









Publicidade