Economia

Pequenos negócios apostam na retomada econômica, diz Boa Vista


Pesquisa do birô de crédito mostra que 56% dos micro e pequenos empresários do Comércio e de Serviços pretendem realizar investimentos ainda neste ano


  Por Redação DC 07 de Dezembro de 2021 às 15:05

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


A confiança de micro e pequenos empresários em relação à retomada da economia e suas perspectivas de novos investimentos vem crescendo, segundo pesquisa realizada pela empresa de inteligência analítica Boa Vista.

De acordo com o levantamento, ao final do 3º trimestre de 2021, 63% dos representantes dos setores do comércio e de serviços estavam mais otimistas com o desempenho dos seus negócios em comparação ao primeiro trimestre deste ano, quando foi registrado um percentual de 59%.

A pesquisa aponta ainda que 56% dos empresários consultados pretendem realizar investimentos em seus negócios até o fim de 2021. Deste total, 6 em cada 10 irão apostar em novos produtos e também em tecnologia da informação. Outros 51% pretendem aplicar em mão de obra qualificada.

Também foi registrado aumento significativo na expectativa de aumento no faturamento. No 3° trimestre de 2020 esse índice era de 42% e este ano, 60% esperam conseguir alavancar os lucros.

Junto à necessidade de investir para gerar crescimento, o estudo também apresenta que 49% dos empresários esperam diminuição relevante no nível de endividamento de suas empresas: 38% acreditam que os índices devem cair, 30% receiam que ocorra crescimento, e outros 32% apostam na sua estabilidade.

A pesquisa da Boa Vista apontou estabilidade na intenção de demanda por crédito. Ao final do 3º trimestre de 2020, o registro foi de 46%, o mesmo apontado em 2021.

Neste universo de 46%, a contratação de crédito terá por objetivo garantir o capital de giro, com 41% das menções, praticamente o mesmo patamar do 3 º trimestre de 2020 (42%). Outros 16% declaram ter como prioridade o pagamento das dívidas.

“A pesquisa mostra que há uma expectativa positiva crescente entre os empresários. Os setores de comércio e serviços estão retomando o folego para investir, contratar e voltar aos patamares pré- pandemia. Notamos também uma estabilidade na intenção de tomar crédito, o que demonstra cautela, muito em linha ao cenário atual de juros altos e renda mais baixa, e de uma conjuntura econômica e política mais complexa que se desenha para 2022”, afirma Flávio Calife, economista da Boa Vista.

 

IMAGEM: Pixabay







Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade




Publicidade



Publicidade




Publicidade