Economia

Para empreendedores, economia melhora a partir de 2018


Donos de pequenos negócios sentiram piora de desempenho em 2016, mas acreditam em início de recuperação no próximo ano, segundo pesquisa do Sebrae


  Por Agência Sebrae 21 de Dezembro de 2016 às 12:59

  | Informações do Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena empresa


Responsáveis por 52% dos empregos do país, os donos de pequenos negócios apostam em um 2017 com ligeira melhora de faturamento.

De acordo com pesquisa feita pelo Sebrae, 82% dos empreendedores acreditam que a retomada do crescimento da economia brasileira começará a partir de 2018.

Para quase 63% dos empresários de pequenos negócios, 2017 terá desempenho melhor do que as vendas registradas neste ano. 

O levantamento realizado pelo Sebrae detectou que 2016 foi um ano difícil para as micro e pequenas empresas: 60% dos empreendimentos de pequeno porte tiveram um desempenho pior do que em 2015.

“A recessão, com a consequente perda de emprego, e as altas taxas de juros são os fatores que mais contribuíram para esse cenário, que tende a apresentar melhoras a partir da renegociação das dívidas das micro e pequenas empresas com a Receita Federal", diz Guilherme Afif Domingos, presidente do Sebrae.

"Ganha a economia e ganha o empreendedor que, com o caixa organizado, conseguirá aproveitar esta retomada do crescimento, até porque este ano foi muito sofrido”.  

Para o presidente do Sebrae, é necessário encontrar saídas para desburocratizar e facilitar o acesso ao crédito.

“Os custos com antecipação de impostos e taxas são os que mais pesam no caixa das empresas. Neste momento precisamos de estímulos, e não de barreiras”.

DETALHES DA PESQUISA

• 60% dos empreendedores dizem que 2016 foi pior que 2015. Para apenas 18% o ano foi melhor

• Motivos: recessão (31%), desemprego (27%), taxa de juros altos (23%) e inflação elevada (15,5%)

• Principais custos para os empreendedores: impostos e taxas (29%)

• 82% das empresas acreditam que a crise irá melhorar somente a partir de 2018, sendo que 1/4 dos empresários acredita que será depois de 2020

• 51,6% não pretendem fazer investimento no seu negócio em 2017

*FOTO: Alfredo Moreira