Economia

O consumidor está menos confiante. Desemprego ainda preocupa


Levantamento feito pela CNI entre os dias 7 e 10 de dezembro mostra queda de 0,5% no indicador, na comparação com igual período de 2016


  Por Estadão Conteúdo 19 de Dezembro de 2017 às 18:02

  | Agência de notícias do Grupo Estado


A confiança do consumidor recuou 0,5% em dezembro, na segunda queda consecutiva registrada neste final de ano. É o que aponta o Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (Inec) divulgado nesta terça-feira (19/12) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Em novembro, o índice já havia registrado um recuo de 0,2% sobre outubro. Com isso, o índice chegou a 100,5 pontos, apenas 0,2 ponto acima do apurado em dezembro de 2016. Ele está 7% abaixo da média histórica para o índice, que é de 108,1 pontos.

Na avaliação de Marcelo Azevedo, economista da CNI, esse resultado indica que a recuperação do consumo tende a ser "moderada". A entidade avalia que o consumidor chega a este final de ano mais preocupado com o emprego e os preços.

O Inec questiona os entrevistados sobre suas expectativas de desemprego, inflação, renda pessoal, endividamento, situação financeira e intenção de compras. Em quatro desses componentes, os resultados foram negativos em dezembro.

A expectativa de queda no desemprego caiu 5,3% em dezembro ante novembro, enquanto a de queda da inflação recuou 2,6%. A expectativa quanto ao aumento da renda pessoal caiu 1%, enquanto a de consumo de bens de maior valor ficou em -1,3%.

Por outro lado, cresceu em 3,8% em relação à satisfação quanto à renda pessoal. O índice de endividamento cresceu 3,7%, o que indica redução do endividamento das famílias.

O Inec, realizado pelo Ibope para a CNI, ouviu 2.000 pessoas em 127 municípios no período de 7 a 10 de dezembro.

IMAGEM: Thinkstock