Economia

No ritmo de crescimento atual, varejo paulistano voltará ao nível de 2019


Levantamento da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) mostra que as vendas de novembro estão 5,8% abaixo das registradas um ano antes


  Por Redação DC 17 de Novembro de 2020 às 13:35

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


Com elevação média de 6,1% na primeira quinzena de novembro, na comparação com igual período de outubro, as vendas do varejo da capital paulista mantêm a tendência de recuperação, segundo dados do Balanço de Vendas da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

Se esse ritmo de crescimento for mantido, de acordo com a ACSP, a perspectiva é que o varejo paulistano termine o ano com as vendas no mesmo patamar de 2019.

A recuperação econômica gradativa se iniciou em junho, quando as medidas de flexibilização começaram a valer para o comércio. Desde então, as perdas foram diminuindo.

Na comparação anual, em junho o varejo registrou retrações de 54,9%, mas o tombo diminui em julho para 47,7%, em agosto a queda foi de 33,6%, de 14,6% em setembro e 9,2% em outubro.

Agora, segundo os dados preliminares, a queda é de 5,8%, se comparada a primeira quinzena de novembro deste ano com igual período de 2019.

“Em outubro as vendas para o Dia das Crianças ajudaram a reduzir as perdas acumuladas até agora. Nesta primeira quinzena de novembro, embora os resultados demonstrem tendência de elevação, ainda não é possível projetá-lo”, analisou o economista da ACSP, Marcel Solimeo.

Ainda assim, segundo Solimeo, há expectativa de que a Black Friday incremente o resultado do varejo, principalmente nas lojas on-line.

No auge das quedas históricas para o setor, os indicadores marcaram, em março, recuo de 27%; em abril, de 63,8% e em maio, de 67%, sempre na comparação com igual mês do ano anterior.

O levantamento da ACSP tem como base os números da Boa Vista que mostram o movimento no varejo.

 

IMAGEM: Tomaz Silva/ Agência Brasil





Publicidade





Publicidade





Publicidade