Economia

Menor custo da mão de obra desacelera IGP-DI


Em julho, indicador medido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) registrou queda de 0,30%


  Por Estadão Conteúdo 08 de Agosto de 2017 às 10:05

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


O Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) registrou queda de 0,30% em julho, após o recuo de 0,96% em junho, divulgou na manhã desta terça-feira (8/08), a Fundação Getulio Vargas (FGV).

Os custos com a mão de obra na construção subiram menos em julho, levando a uma desaceleração na inflação do setor.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC-DI) subiu 0,30% em julho, após uma alta de 0,93% em junho.

Já o índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços avançou 0,07% no último mês, ante uma ligeira queda de 0,01% no mês anterior. Já o índice que representa o custo da Mão de Obra teve aumento de 0,49% em julho, depois de um avanço de 1,70% em junho.

CONTA DE LUZ

A conta de luz mais cara pesou no bolso dos consumidores dentro do IGP-DI. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC-DI) subiu 0,38% no último mês, após uma deflação de 0,32% em junho. Quatro das oito classes de despesa tiveram taxas de variação maiores.

A principal contribuição para o avanço do IPC-DI partiu do grupo Habitação (de -0,74% em junho para 1,15% em julho), sob influência do item tarifa de eletricidade residencial, que passou de queda de 6,56% para aumento de 5,95%.

Também apresentaram acréscimo nas taxas de variação os grupos Transportes (de -0,53% para 0,40%), Alimentação (de -0,71% para -0,22%) e Comunicação (de -0,10% para 0,58%), com destaque para os itens gasolina (de -2,86% para 2,61%), hortaliças e legumes (de -7,11% para 1,49%) e pacotes de telefonia fixa e internet (de -0,50% para 1,70%), respectivamente.

Na direção oposta, houve redução na variação de Vestuário (de 0,86% para -0,08%), Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,52% para 0,32%), Despesas Diversas (de 0,31% para 0,18%) e Educação, Leitura e Recreação (de 0,21% para 0,19%), com impacto dos itens roupas (de 0,94% para -0,31%), artigos de higiene e cuidado pessoal (de 0,51% para 0,08%), tarifa postal (de 2,07% para 0%) e passagem aérea (de 13,02% para 1,50%).

O núcleo do IPC-DI registrou alta de 0,13% em julho, ante aumento de 0,20% em junho. Dos 85 itens componentes do IPC, 41 foram excluídos do cálculo do núcleo. O índice de difusão, que mede a proporção de itens com aumentos de preços, permaneceu em 51,78% em julho, mesmo resultado do mês anterior.






Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade




Publicidade



Publicidade




Publicidade