Economia

Meirelles aposta em investimento privado para tirar SP da crise


O Secretário da Fazenda e Planejamento paulista espera a participação do capital privado para dar andamento a seu programa de concessões


  Por Renato Carbonari Ibelli 30 de Junho de 2020 às 15:03

  | Editor ibelli.dc@gmail.com


O governo do estado de São Paulo aposta que a saída da crise da covid-19 depende dos investimentos privados em infraestrutura. O plano de retomada econômica da gestão Doria prevê uma série de concessões de modais de transporte e incluí ainda o aporte de capital privado na Sabesp.

São ações que têm como horizonte os anos de 2021 e 2022, segundo Henrique Meirelles, Secretário paulista da Fazenda e Planejamento. O ex-ministro se diz empolgado com o plano após assinatura do contrato de concessão do trecho de rodovia Piracicaba-Panorama no auge da crise do coronavírus.

“Isso mostra que os investidores acreditam que São Paulo terá uma recuperação sustentável no pós-pandemia”, disse Meirelles durante o Fórum Paulista de Desenvolvimento (Fopa), que acontece ao longo desta terça-feira, 30/06.

LEIA MAIS: Cotait pede mais crédito e estímulo a investimentos para salvar economia

Segundo ele, “há liquidez nas economias mundiais”, permitindo que o investidor estrangeiro se interesse pelos leilões de concessão do governo paulista.

Além do aporte em rodovias e ferrovias, o capital privado também é esperado na área de saneamento do estado. Nos planos de Meirelles está a criação de uma holding envolvendo a Sabesp, companhia estatal que cuida do saneamento em São Paulo.

“Ficaria 50% para o setor privado e 50% para o estado, que continuaria a controlar a sociedade”, disse o Secretário da Fazenda. Essa seria uma alternativa à privatização da estatal, algo que envolve a aprovação do legislativo paulista e mudanças regulatórias.

Mudanças em marcos regulatórios de setores estratégicos fazem parte dos planos de crescimento do governo do estado para 2021 e 2022. São alterações que, de acordo com Meirelles, melhorariam o ambiente de negócios em setores como o de gás e energia.

O Secretário da Fazenda paulista destacou ainda o desenvolvimento do polo tecnológico instalado na Marginal Pinheiros, próximo à universidade de São Paulo (USP), como importante peça na atração de investimentos para o estado.

“É um ambiente de cross fertilização para startups e empresas de tecnologia que buscam a inovação”, disse Meirelles.

O governo paulista não tem divulgado números completos que mostram os efeitos da pandemia na economia regional. Mas em abril, a arrecadação do ICMS caiu 19%, o que pode dar uma ideia do impacto da crise no estado.

LEIA MAIS: 

Sem investimento público, não teremos crescimento econômico

Comércio será multado por clientes e funcionários sem máscara

Bares e restaurantes da capital paulista reabrem dia 6 de julho

 

IMAGEM: Agência Brasil