Economia

Levy diz que recuperação da economia é 'questão de meses'


O ministro da Fazenda disse em Madri, a um grupo de 150 empresários, que a agenda de concessões em infraestrutura é um dos elementos que vai colaborar com o processo de recuperação


  Por Estadão Conteúdo 07 de Setembro de 2015 às 16:32

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, afirmou nesta segunda-feira (07/09) que "a recuperação da economia brasileira é uma questão de meses".

Ele manifestou a um grupo de 150 empresários e investidores em Madri muita confiança na trajetória de retomada da demanda agregada no Brasil, inclusive porque isso tem o apoio da presidente Dilma Rousseff. "A presidente teve coragem de tomar as medidas necessárias", explicou.

Levy ressaltou que o país tem uma "estratégia" baseada no fortalecimento dos pilares macroeconômicos, sobretudo o ajuste fiscal, o combate frontal à inflação e câmbio flutuante. Ele também destacou há uma agenda "propositiva" de colaboração do Congresso Nacional para viabilizar o processo de evolução da qualidade das contas públicas.

Também disse que a agenda de concessões em infraestrutura é um dos elementos que vai colaborar para o processo de recuperação da economia brasileira, que já está em curso, segundo ele.

"Em infraestrutura, é sempre bom ter companhias brasileiras e estrangeiras, pois agregam tecnologia e governança, uma demanda das sociedades: um governo mais transparente e eficiente".

Na avaliação de Levy, o plano de logística no Brasil vai muito bem e destacou que praticamente a cada semana é feita uma autorização para empresas operarem terminais portuários privados. "Há enorme interesse. Estamos reiniciando a concessão de operação em áreas de portos públicos."

Ele também destacou a continuidade do processo de concessão de mais quatro aeroportos, entre eles o de Fortaleza. No caso de rodovias, o foco principal foi a duplicação de estradas que têm conhecida demanda. "Ao iniciar o novo round de concessões rodoviárias de baixo risco, as taxas de retorno foram muito bem recebidas", apontou.

Ele destacou que nesses casos houve "flexibilizações" de regras junto às empresas brasileiras e estrangeiras, como exigência de capital.

"A infraestrutura é condição fundamental para o Brasil crescer", afirmou Levy, ressaltando que, se mudaram os termos de troca comerciais para o País, é necessário se adaptar à realidade internacional e buscar o aumento da competitividade.

FOTO: Agência Brasil






Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade




Publicidade



Publicidade




Publicidade