Economia

IPCA para 2017 cai de 3,03% para 2,88%, aponta Focus


Projeções de mercado indicam que a expectativa é de que a inflação fique levemente abaixo do piso da meta, de 3,0%, em 2017


  Por Estadão Conteúdo 11 de Dezembro de 2017 às 09:15

  | Agência de notícias do Grupo Estado


Sob influência dos dados mais recentes de inflação e da decisão do Banco Central sobre juros, na semana passada, os economistas do mercado financeiro reduziram suas projeções para o IPCA para este ano.

O Relatório de Mercado Focus divulgado na manhã desta segunda-feira (11/12), pelo Banco Central, mostra que a mediana para o IPCA em 2017 foi de 3,03% para 2,88%.

Há um mês, estava em 3,09%. Já a projeção para o índice de 2018 permaneceu em 4,02%, ante 4,04% de quatro semanas atrás.

Na prática, as projeções de mercado agora divulgadas no Focus indicam que a expectativa é de que a inflação fique levemente abaixo do piso da meta, de 3,0%, em 2017.

O centro da meta para este ano e o próximo é de 4,5%, com margem de tolerância de 1,5 ponto porcentual (inflação de 3,0% a 6,0%).

Na quarta-feira passada, o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC atualizou suas projeções para o IPCA: 2,9% em 2017, 4,2% em 2018, e 4,2% em 2019. Na ocasião, o BC também reduziu a Selic em 0,50 ponto porcentual, de 7,50% para 7,00% ao ano.

Na sexta-feira, dia 8, foi a vez de o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) anunciar que a inflação de novembro ficou em 0,28%, abaixo do que esperava o mercado. Em 2017, o IPCA acumula taxa de 2,50%.

PREÇOS ADMINISTRADOS

O Relatório de Mercado Focus indicou, ainda, manutenção na projeção para os preços administrados neste ano. A mediana das previsões do mercado financeiro para o indicador em 2017 seguiu com alta de 7,85%.

Para 2018, a mediana passou de 4,88% para 4,90%. Há um mês, o mercado projetava aumento de 7,50% para os preços administrados em 2017 e elevação de 4,80% em 2018.

As projeções atuais do BC para os preços administrados indicam elevações de 7,9% em 2017, 5,1% em 2018 e 4,3% em 2019. Estes porcentuais serão atualizados na ata do encontro do Comitê de Política Monetária (Copom), que sai nesta terça-feira, dia 12.

A expectativa do mercado financeiro para a Selic ao final de 2018 segue em 7%. A estimativa para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, subiu de 0,89% para 0,91%, este ano, e de 2,60% para 2,62%, em 2018.

OUTROS ÍNDICES

O estudo semanal do BC mostrou também que a mediana das projeções do IGP-DI de 2017 passou de -1,08% para -0,72% da semana passada para esta. Há um mês, estava em -1,20%. Para 2018, a projeção seguiu em +4,50%, mesmo valor de quatro semanas atrás.

Calculados pela Fundação Getulio Vargas (FGV), os Índices Gerais de Preços (IGPs) são bastante afetados pelo desempenho do dólar e pelos produtos de atacado, em especial os agrícolas.

Outro índice, o IGP-M, que é referência para o reajuste dos contratos de aluguel, foi de -0,95% para -0,85% nas projeções dos analistas para 2017. Quatro levantamentos antes, estava em -1,12%. No caso de 2018, o índice foi de +4,39% para +4,35%, ante +4,39% de um mês atrás.

Já a mediana das previsões para o IPC-Fipe de 2017 foi de +2,18% para +2,14% no Focus. Um mês antes, a mediana das projeções do mercado para o IPC era de +2,25%. Para 2018, a projeção do IPC-Fipe passou de +4,49% para +4,28%, ante os mesmos 4,28% de um mês antes.

IMAGEM: Thinkstock