Economia

Inflação de setembro desacelera e fica em 0,08%


É a menor taxa para setembro em 18 anos, de acordo com o IBGE. O principal responsável pela queda do índice foi a alimentação


  Por Agência Brasil 07 de Outubro de 2016 às 09:31

  | Agência de notícias da Empresa Brasileira de Comunicação.


A inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), ficou em 0,08% em setembro deste ano. Considerando apenas os meses de setembro, a taxa é a menor desde 1998, quando ficou em -0,22%.

A taxa é inferior às observadas em agosto deste ano (0,44%) e em setembro de 2015 (0,54%), de acordo com dados divulgados nesta sexta-feira (07/10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Com isso, o IPCA acumula taxa de 5,51% no ano. Em 12 meses, a taxa acumulada chega a 8,48%, abaixo dos 8,97% acumulados até agosto deste ano, mas acima do teto da meta de inflação do governo federal, que é de 6,5%.

LEIA MAIS: Em setembro, custo da cesta básica cai em 14 capitais

A taxa mensal de 0,08% de setembro deste ano é a mais baixa desde a de 0,01% de julho de 2014. O principal responsável pela queda do índice foi o grupo de despesas com alimentação, que teve deflação (queda de preços) de 0,29% em setembro deste ano, depois de uma inflação de 0,3% no mês anterior.

Também tiveram deflações os artigos para residência (-0,23%) e o de transportes (-0,1%).

BAIXA RENDA

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a inflação para famílias com renda até cinco salários mínimos, acumula taxa de 9,15% em 12 meses, de acordo com levantamento feito pelo IBGE, em setembro.

No mesmo período, a inflação oficial, medida pelo IPCA, acumulou taxa de 8,48%. Considerando-se apenas setembro, o INPC teve a mesma taxa que o IPCA: 0,08%.

A taxa é inferior ao 0,31% registrado pelo INPC em agosto deste ano. Assim como aconteceu com o IPCA, a queda da taxa do INPC entre agosto e setembro foi influenciada principalmente pelos produtos alimentícios, que tiveram uma deflação (queda de preços) de 0,25% em setembro, ante uma inflação de 0,28% em agosto.

Os não alimentícios tiveram uma alta de preços de 0,23%, abaixo da taxa de inflação observada em agosto (0,32%).

Foto: Thinkstock