Economia

Inflação começa a convergir para a meta


Essa deve ser a tendência nos próximos meses por causa da redução esperada na tarifa elétrica e dos cortes de preços do combustível


  Por Instituto Gastão Vidigal 07 de Junho de 2019 às 18:55

  | Da equipe de economistas da Associação Comercial de São Paulo (ACSP)


Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) desacelerou de forma mais intensa em maio, mostrando alta de apenas 0,13%, abaixo das expectativas de mercado, explicada principalmente pela queda dos preços (deflação) de alimentos, devido às condições climáticas mais favoráveis.

Esse resultado contribuiu para que inflação em 12 meses recuasse para 4,66% (ver tabela abaixo), mas ainda acima da meta anual perseguida pelo Banco Central (4,25%).

No mesmo mês, o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), divulgado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), também desacelerou de forma mais intensa, devido a diminuição dos preços das matérias primas agrícolas (IPA AGRO) e a descompressão dos preços dos insumos industriais (IPA IND), causada pela redução da taxa de câmbio.

A menor inflação mensal refletida por esse índice ocasionou desaceleração em 12 meses, ainda maior que no caso anterior, alcançando a 6,93%. 

Em síntese, a inflação, independentemente do índice considerado, já começa a mostrar sinais de recuo, devendo manter essa tendência nos próximos meses, por causa da redução esperada na tarifa elétrica, que passará para a bandeira tarifária verde, e aos cortes de preços do combustível nas refinarias da Petrobras.

Também é importante mencionar que essa desaceleração da inflação, aparte dos fatores mensais pontuais, reflete a fraqueza da atividade econômica.

 

IMAGEM: Thinkstock