Economia

Inflação ao consumidor acelera


O Índice subiu 0,03% em novembro, após uma queda de 0,06% em outubro. Quatro das oito classes de despesa registraram taxas de variação mais elevadas, de acordo com a FGV


  Por Estadão Conteúdo 14 de Novembro de 2019 às 09:06

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


Apesar da redução nos custos com alimentos e tarifa de energia elétrica, a inflação ao consumidor voltou a ficar positiva dentro do Índice Geral de Preços - 10 (IGP-10) de novembro, de acordo com a Fundação Getulio Vargas (FGV).

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC-10) subiu 0,03% em novembro, após uma queda de 0,06% em outubro. Quatro das oito classes de despesa registraram taxas de variação mais elevadas, com destaque para o grupo Alimentação, que passou de -0,64% em outubro para -0,07% em novembro.

As frutas saíram de uma queda de 5,31% para alta de 0,46% no período. Os demais acréscimos ocorreram nas taxas de variação dos grupos Vestuário (de 0,14% para 0,43%), Despesas Diversas (de 0,11% para 0,34%) e Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,22% para 0,31%).

As maiores contribuições partiram dos itens roupas (de 0,32% para 0,53%), cigarros (de 0,17% para 0,73%) e artigos de higiene e cuidado pessoal (de 0,15% para 0,53%).

Na direção oposta, as taxas foram menores nos grupos Educação, Leitura e Recreação (de 0,24% para -0,15%), Habitação (de -0,02% para -0,14%), Transportes (de 0,21% para 0,14%) e Comunicação (de 0,34% para -0,09%).

Houve influência dos itens passagem aérea (de -0,16% para -4,44%), tarifa de eletricidade residencial (de -1,06% para -1,58%), óleo diesel (de 3,02% para 1,67%) e tarifa de telefone móvel (de 0,97% para -0,13%).