Economia

Indústria surpreende e cresce acima do esperado em julho


Apesar da alta de 4%, houve perda de fôlego na retomada, devido ao elevado desemprego e a baixa confiança dos empresários diante das eleições, conforme apontam os economistas da ACSP


  Por Instituto Gastão Vidigal 04 de Setembro de 2018 às 18:35

  | Da equipe de economistas da Associação Comercial de São Paulo (ACSP)


O crescimento de 4% da indústria em julho, segundo o IBGE, apesar do resultado positivo, indica perda de tração na recuperação da atividade, justificada pelo elevado desemprego, a baixa confiança dos empresários em decorrência das eleições e agravada pela crise argentina, que afeta negativamente a produção de veículos. A análise é dos economistas do Instituto Gastão Vidigal, da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). 

Segundo o IBGE, o crescimento da indústria em julho ante igual mês do ano passado superou  expectativas de mercado (2,0%). Porém, no acumulado de 12 meses, a expansão da produção (3,2%) continua abaixo do resultado registrado antes da greve dos caminhoneiros.

Na comparação com julho de 2017, as quatro categorias de uso incluídas
na pesquisa do IBGE registraram expansão, destacando-se os segmentos de bens
duráveis, principalmente caminhões para formar frotas próprias, e bens de capital.

Ainda de acordo com os economistas da ACSP, a expectativa é que a definição do cenário eleitoral, ao reduzir as incertezas internas, reforce a retomada não somente da indústria, mas da atividade econômica em geral.  

IMAGEM: Thinkstock