Economia

Índice que reajusta aluguel avança em fevereiro


Mês fecha com variação de 1,29%. Em 12 meses, o IGP-M registra alta de 12,08%


  Por Agência Brasil 26 de Fevereiro de 2016 às 09:37

  | Agência de notícias da Empresa Brasileira de Comunicação.


O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) variou 1,29% em fevereiro, um avanço de 0,15% sobre janeiro. O levantamento é feito pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV) com base nos preços coletados entre os dias 21 de janeiro e 20 de fevereiro. Em 12 meses, o IGP-M registrou alta de 12,08%.

No acumulado em 12 meses, atingiu o maior nível desde outubro de 2008, quando ficou em 12,23%.

LEIA MAIS: Fator de reajuste do aluguel

A taxa do segundo mês de 2016 deve representar um pico da inflação, já que a tendência é de que o indicador desacelere, mas ainda permaneça elevado, segundo Salomão Quadros, economista da Fundação Getulio Vargas (FGV).

"A taxa em 12 meses deve começar a desacelerar um pouco, mas não vai despencar. Não deve se distanciar muito dos 10%", estimou.

Em fevereiro, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) apresentou variação de 1,45%. No mês anterior, a taxa foi de 1,14%. O índice relativo aos bens finais variou 1,43% neste mês.

Em janeiro, esse grupo de produtos teve variação de 1,84%. Contribuiu para o recuo o subgrupo alimentos in natura, cuja taxa de variação passou de 7,6% para 2,48%.

LEIA MAIS: "Inflação deve perder o fôlego a partir de abril"

O índice referente ao grupo bens intermediários variou 1,16% neste mês. Em janeiro, a taxa foi de 0,69%. O principal responsável por esse movimento foi o subgrupo materiais e componentes para a manufatura, cuja taxa passou de 1,06% para 1,96%.

O índice de bens intermediários, calculado após a exclusão do subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, variou 1,43%, ante 0,87%, em janeiro.

No estágio inicial da produção, o índice do grupo matérias-primas brutas variou 1,83% em fevereiro. Em janeiro, o índice registrou variação de 0,85%.

Os itens que mais contribuíram para esse movimento foram: milho em grão (9,68% para 17,79%), bovinos (0,09% para 2,63%) e cana-de-açúcar (1,39% para 4,03%). Em sentido oposto, destacam-se: soja em grão (1,83% para -1,45%), suínos (-0,58% para -11,08%) e aves (-2,48% para -4,20%).

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou variação de 1,19% em fevereiro, ante 1,48% em janeiro. Três das oito classes de despesa componentes do índice registraram decréscimo em suas taxas: a principal contribuição foi do grupo alimentação (2,36% para 1,42%). Nessa classe de despesa, o destaque é o item hortaliças e legumes, cuja taxa passou de 19,44% para 5,29%.

IMAGEM: ThinkStock