Economia

Índice que reajusta aluguel acumulou alta de 7,17% no ano


É o que revela levantamento da Fundação Getúlio Vargas. Compare: em 2015, a alta do Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) havia atingido 10,54%


  Por Estadão Conteúdo 29 de Dezembro de 2016 às 09:21

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) encerrou dezembro com alta de 0,54%, após queda de 0,03% em novembro, conforme divulgou nesta quinta-feira (29/12), a Fundação Getulio Vargas (FGV).

O indicador apresentou variação acumulada de 7,17% entre janeiro e dezembro deste ano. Em 2015, no mesmo período, a alta foi de 10,54%, de acordo com o levantamento.

Na abertura do IGP-M, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) registrou alta de 0,69% no último mês do ano, depois de recuar 0,16% em novembro.

Os bens finais tiveram retração de 0,26%, ante declínio de 0,82% no penúltimo mês de 2016.

O subgrupo alimentos in natura foi o responsável pela aceleração dos bens finais, já que passou de queda de 8,90% para variação negativa de 5,04% em dezembro.

Excluindo-se os subgrupos alimentos in natura e combustíveis para o consumo, o índice de Bens Finais (ex) registrou variação de 0,12%, depois de alta de 0,17%.

Os bens intermediários registraram elevação de 0,53% na leitura deste mês em relação ao recuo de 0,43% em novembro.

O resultado, segundo a FGV, foi influenciado pelo subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, cuja taxa passou de queda de 3,82% para retração de 0,51% em dezembro.

O índice de bens intermediários (ex), que exclui combustíveis e lubrificantes para a produção, variou 0,69%, ante 0,09% em novembro.

No estágio inicial da produção, o índice do grupo matérias primas brutas apresentou alta de 1,96% em dezembro na comparação com 0,90% no penúltimo mês do ano.

Os itens que mais afetaram a alta foram, segundo a FGV: minério de ferro (de 9,04% para 17,53%), soja em grão (de queda de 2,42% para alta de 0,38%) e leite in natura (de queda de 8,78% para recuo de 6,34%).

Já café em grão (de 8,30% para baixa de 2,03%), mandioca/aipim (de 8,70% para 0,84%) e milho em grão (de queda de 3,92% para recuo de 6,17%) ficaram mais caros em dezembro.

IMAGEM: Thinkstock

 






Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade




Publicidade



Publicidade




Publicidade