Economia

Foram criadas 130 mil vagas formais de empregos em abril


Foi o melhor resultado para um mês de abril desde 2013. Já a média salarial teve queda real de 1,32% na comparação com 2018


  Por Estadão Conteúdo 24 de Maio de 2019 às 15:23

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


O mercado de trabalho brasileiro criou 129.601 empregos com carteira assinada em abril, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta sexta-feira, 24/05, pelo Ministério da Economia

O saldo de abril decorre de 1,374 milhão de admissões e 1,245 milhão de demissões. 

Esse foi o melhor resultado para o mês desde 2013. Em abril de 2018, a abertura líquida de vagas havia chegado a 115.898, na série sem ajustes. 

No acumulado do primeiro quadrimestre de 2019, o saldo do Caged é positivo em 313.835 vagas. Em 12 meses até abril, o saldo é positivo em 477.896 postos de trabalho. 

POR SETOR

O resultado do mês foi puxado pelo setor de serviços, que gerou 66.290 postos formais, seguido pela indústria de transformação, que abriu 20.479 vagas de trabalho. 

LEIA MAIS: Como criar os gestores de amanhã

Também tiveram saldo positivo no mês a construção civil (14.067 postos), agropecuária (13.907 postos), comércio (12.291 postos), administração pública (1.241 postos), serviços industriais de utilidade pública (867 postos) e a extração mineral (454 postos)

SALÁRIOS

O salário médio de admissão nos empregos com carteira assinada teve queda real de 1,32% em abril de 2019 ante o mesmo mês de 2018, para R$ 1.584,51, segundo dados do Caged. Na comparação com março, houve alta de 0,45%.

O maior salário médio de admissão em abril ocorreu na atividade extrativa mineral, com R$ 2.432,65, puxado pelos salários da Petrobras.

Já o menor salário médio de admissão foi registrado na agropecuária, com R$ 1.327,02.

TRABALHO INTERMITENTE

Em abril foram criados 5.422 empregos com contrato intermitente. De acordo com os dados do Ministério da Economia, o emprego intermitente registrou admissão total de 9.972 trabalhadores em abril, ao mesmo tempo em que houve 4.550 demissões. 

Houve ainda a abertura de outras 2.827 vagas pelo sistema de jornada parcial. As duas novas modalidades foram criadas pela Reforma Trabalhista.

O Caged informou ainda que houve 17.513 desligamentos por acordo no mês de abril.

 

IMAGEM: Pixabay