Economia

Focus indica nova queda da inflação em 2017


A expectativa de alta para o Produto Interno Bruto (PIB) deste ano permanece em 0,39%. Há um mês, a perspectiva era de avanço de 0,50%


  Por Estadão Conteúdo 03 de Julho de 2017 às 10:01

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


Os economistas do mercado financeiro voltaram a reduzir suas projeções para a inflação neste e no próximo ano. O Relatório de Mercado Focus, divulgado nesta segunda-feira (3/07), pelo Banco Central, aponta que a mediana para o IPCA - o índice oficial de inflação - em 2017 foi de 3,48% para 3,46%.

Há um mês, estava em 3,90%. Já a projeção para o IPCA de 2018 foi de 4,30% para 4,25%, ante 4,40% de quatro semanas atrás.

Na prática, as projeções de mercado divulgadas no Focus indicam que a expectativa é de que a inflação fique abaixo do centro da meta, de 4,5%, em 2017 e 2018. A margem de tolerância para estes anos é de 1,5 ponto porcentual (inflação entre 3,0% e 6,0%).

Na última quinta-feira, o Conselho Monetário Nacional (CMN) definiu as metas de inflação para os anos seguintes. A referência para 2019 será de 4,25%, enquanto a de 2020 será de 4,00%. Nos dois casos a banda de flutuação é de 1,5 ponto porcentual.

Entre os índices mensais mais próximos, a estimativa para junho de 2017 seguiu em -0,15%. Um mês antes, estava em +0,20%. No caso de julho, a previsão de inflação do Focus seguiu em +0,18%, ante +0,25% de quatro semanas atrás.

PREÇOS ADMINISTRADOS

O Relatório de Mercado Focus trouxe mudança na projeção para os preços administrados neste ano. A mediana das previsões do mercado financeiro para o indicador em 2017 foi de alta de 5,15% para avanço de 5,10%. Para 2018, a mediana seguiu em 4,70%.

Há um mês, o mercado projetava aumento de 5,50% para os preços administrados em 2017 e elevação de 4,70% em 2018.

Em suas projeções, atualizadas no último Relatório Trimestral de Inflação (RTI), o BC espera alta de 5,9% para os preços administrados em 2017 e avanço de 5,5% em 2018.

PIB

Embora o Banco Central tenha mantido a projeção de crescimento de 0,5% para a economia brasileira em 2017, os economistas do mercado financeiro seguem demonstrando maior pessimismo.

A expectativa de alta para o Produto Interno Bruto (PIB) deste ano permaneceu em 0,39% no Relatório de Mercado Focus. Há um mês, a perspectiva era de avanço de 0,50%.

Para 2018, o mercado mudou, para pior, a previsão de alta do PIB, de 2,10% para 2,00%. Quatro semanas atrás, a expectativa estava em 2,40%.

No relatório Focus desta segunda, as projeções para a produção industrial para este ano tiveram leve melhora. O avanço projetado para 2017 foi de 0,55% para 0,66%. Há um mês, estava em 1,09%. No caso de 2018, a estimativa de crescimento da produção industrial seguiu em 2,30%, ante 2,50% de quatro semanas antes.

SELIC

Os economistas do mercado financeiro decidiram manter a projeção para a Selic (a taxa básica de juros) no fim de 2017, mas reduzir a expectativa para 2018.

O Focus indica que a mediana das previsões para a Selic este ano seguiu em 8,50% ao ano. Há um mês, estava no mesmo patamar.

A mudança das estimativas para a Selic em 2018 ocorre após, na última quinta-feira (29), o Conselho Monetário Nacional (CMN) definir as metas de inflação para os anos seguintes.

A referência para 2019 será de 4,25%, enquanto a de 2020 será de 4,00%. Nos dois casos a banda de flutuação é de 1,5 ponto porcentual.

Já a projeção para a cotação da moeda americana no fim de 2017 passou de R$ 3,32 para R$ 3,35. Há um mês, estava em R$ 3,30. O câmbio médio de 2017 foi de R$ 3,24 para R$ 3,26, ante R$ 3,22 de um mês antes.

No caso de 2018, a projeção para o câmbio no fim do ano seguiu em R$ 3,40. Quatro semanas antes, estava no mesmo patamar.

A projeção para o câmbio médio no próximo ano foi de R$ 3,38 para R$ 3,40, ante R$ 3,35 de quatro semanas atrás.

IMAGEM: Thinkstock