Economia

Estimativa do IPCA para 2019 segue em 3,29%


Cenário deve permitir também um ajuste adicional para a Selic, de acordo com o Relatório Focus do BC


  Por Estadão Conteúdo 04 de Novembro de 2019 às 09:26

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


Os economistas do mercado financeiro mantiveram a previsão para o IPCA o índice oficial de preços em 2019 e 2020. O Relatório de Mercado Focus, divulgado nesta segunda-feira, 4, pelo Banco Central, mostra que a mediana para o IPCA este ano seguiu em alta de 3,29%. Há um mês, estava em 3,42%. A projeção para o índice em 2020 permaneceu em 3,60%. 

Na semana passada, o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC atualizou suas projeções mais recentes para a inflação. Considerando o cenário de mercado, a projeção para o IPCA em 2019 está em 3,4%. No caso de 2020, está em 3,6% e, para 2021, em 3,5%.

No Focus desta segunda-feira, entre as instituições que mais se aproximam do resultado efetivo do IPCA no médio prazo, denominadas Top 5, a mediana das projeções para 2019 foi de 3,31% para 3,30%. Para 2020, a estimativa do Top 5 seguiu em 3,55%. 

CÂMBIO 

O Relatório de Mercado Focus, divulgado nesta segunda-feira (04/10), pelo Banco Central, mostrou manutenção no cenário para a moeda norte-americana em 2019. A mediana das expectativas para o câmbio no fim deste ano seguiu em R$ 4,00, igual a um mês atrás. Para o próximo ano, a projeção para o câmbio permaneceu em R$ 4,00, ante R$ 3,95 de quatro pesquisas atrás.

SELIC

Após a reunião de política monetária do Banco Central na semana passada, os economistas do mercado financeiro mantiveram suas projeções para a Selic (a taxa básica da economia) no fim de 2019. O Focus desta segunda-feira trouxe que a mediana das previsões para a Selic este ano seguiu em 4,50% ao ano. Há um mês, estava em 4,75%. Já a projeção para a Selic no fim de 2020 permaneceu em 4,50% ao ano, ante 5,00% de quatro semanas atrás.

Na semana passada, o Copom cortou a Selic em 0,50 ponto porcentual, de 5,50% para 5,00% ao ano. Foi o terceiro corte consecutivo da taxa básica. No comunicado sobre a decisão, o BC avaliou que "a consolidação do cenário benigno para a inflação prospectiva deverá permitir um ajuste adicional, de igual magnitude".

O próximo encontro do Copom ocorre em dezembro e será o último do ano. Para o início de 2020, porém, a sinalização é de que o corte pode ser menor ou nem mesmo ocorrer.

PIB

A expectativa de crescimento da economia em 2019 passou de 0,91% para 0,92%, de acordo com o Relatório Focus. Há quatro semanas, a estimativa de alta era de 0,87%.

Para 2020, o mercado financeiro manteve a previsão de alta do Produto Interno Bruto (PIB), em 2,00%. Quatro semanas atrás, estava no mesmo patamar.

FOTO: