Economia

Em abril, a maior taxa de inflação desde 2015


Os principais responsáveis pela inflação da prévia de abril foram os transportes, que tiveram alta de preços de 1,31%, puxada pelos combustíveis, de acordo com o IBGE


  Por Agência Brasil 25 de Abril de 2019 às 10:09

  | Agência de notícias da Empresa Brasileira de Comunicação.


O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que mede a prévia da inflação oficial, ficou em 0,72% em abril deste ano. A taxa é superior às registradas em março deste ano (0,54%) e em abril do ano passado (0,21%). É também a maior taxa para o mês desde 2015 (1,07%).

Segundo dados divulgados nesta quinta-feira (25/04) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o IPCA-15 acumula taxas de inflação de 1,91% no ano e de 4,71% em 12 meses.

Os principais responsáveis pela inflação da prévia de abril foram os transportes, que tiveram alta de preços de 1,31%, puxada pelos combustíveis (com alta de 3%), em especial, a gasolina (3,22%).

Os alimentos e bebidas também tiveram um impacto importante no IPCA-15, com uma inflação de 0,92% na prévia do mês. Outro grupo que influenciou a prévia da inflação foi saúde e cuidados pessoais (1,13%).

Apenas o grupo de despesas comunicação teve deflação, ou seja, queda de preços (-0,05%). As demais classes de despesas tiveram as seguintes taxas de inflação: educação (0,06%), despesas pessoais (0,12%), habitação (0,36%), artigos de residência (0,41%) e vestuário (0,57%).

POR GRUPOS

Apenas um dos nove grupos do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) registrou deflação em abril, segundo os dados divulgados nesta quinta-feira, 25, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

As famílias gastaram 0,05% menos no mês com Comunicação, puxada pela queda de 0,29% no telefone fixo. Houve redução média de 7,50% no valor das tarifas de fixo para móvel, a partir de 25 de fevereiro. Já o item correio subiu 2,19%, devido ao reajuste de 13,90%, em vigor a partir de 06 de março, em um dos serviços no Rio de Janeiro.

Três grupos foram responsáveis por cerca de 85% da taxa de inflação de 0,72% registrada pelo IPCA-15 em abril: Transportes (aumento de 1,31% e contribuição de 0,24 ponto porcentual), Alimentação e Bebidas (alta de 0,92% e impacto de 0,23 ponto porcentual) e Saúde e Cuidados Pessoais (alta de 1,13% e impacto de 0,14 ponto porcentual).

O resultado do grupo Saúde e Cuidados Pessoais foi influenciado pelo encarecimento de 2,61% na higiene pessoal, com impacto de 0,07 ponto porcentual. O destaque foram os perfumes, que haviam subido 0,49% em março e aceleraram para 6,94% em abril. Também houve pressão dos remédios, com alta de 0,72%, refletindo parte do reajuste anual, em vigor desde 31 de março, cujo teto é de 4,33%.

Os demais aumentos ocorreram nos grupos: Habitação (0,36%), Vestuário (0,57%), Artigos de Residência (0,41%), Despesas Pessoais (0,12%) e Educação (0,06%).

*Com Estadão Conteúdo

 

IMAGEM: Thinkstock