Economia

Economia global pode encolher 6% em 2020


Com impacto do coronavírus, a previsão da OCDE é de que num cenário de segunda onda da pandemia, o avanço do PIB mundial se limitaria a 2,8%


  Por Estadão Conteúdo 10 de Junho de 2020 às 05:35

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


A economia mundial deverá sofrer uma violenta contração de 6% em 2020, como resultado dos efeitos da pandemia do novo coronavírus, segundo relatório de perspectiva global da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

No documento, publicado nesta quarta-feira(10/6), a OCDE alerta que a queda do Produto Interno Bruto (PIB) global este ano poderá ser ainda mais acentuada e chegar a 7,6% se houver uma segunda onda de infecções pela covid-19, como é conhecida a doença causada pelo coronavírus.

Para 2021, a OCDE projeta recuperação da economia global, com crescimento de 5,2%. Num cenário de segunda onda da pandemia, o avanço do PIB mundial se limitaria a 2,8%, acredita a entidade.

Para os EUA especificamente, a OCDE prevê contração econômica de 7,3% este ano e expansão de 4,1% no próximo. Na eventualidade de uma segunda onda do coronavírus, o PIB americano poderá encolher 8,5% em 2020, diz a OCDE.

No caso da China, a OCDE espera queda de 2,6% do PIB este ano e avanço de 6,8% em 2021. Na hipótese de uma segunda onda, a economia chinesa poderá afundar 3,7% em 2020, projeta a entidade.

Em relação à zona do euro, a OCDE prevê contração de 9,1% este ano - ou de 11,5%, com uma segunda onda - e crescimento de 6,5% em 2021. Ainda no relatório, a OCDE projeta que o PIB do Reino Unido, que está em processo de separação da União Europeia, sofrerá um tombo de 11,5% este ano.

BRASIL

Já a economia brasileira deve apresentar queda de 7,4% neste ano, segundo previsão da OCDE. Essa retração pode ser ainda maior, se houver uma segunda onda de contaminação pelo novo coronavírus (covid-19), chegando a 9,1% de queda do Produto Interno Bruto (PIB, soma de todos os bens e serviços produzidos no país).

Segundo relatório, a economia brasileira estava finalmente se recuperando de uma longa recessão quando veio o surto da covid-19. E agora, há previsão é que a economia sofra uma recessão ainda mais profunda, diz a organização.

Para a OCDE, a recuperação da economia será lenta e parcial, e alguns empregos e empresas serão perdidos. “O desemprego vai bater recorde histórico antes de recuar gradualmente”, avalia.

Para 2021, a previsão é de crescimento de 2,4% do PIB, no cenário com duplo surto deacovid-19. No cenário com apenas uma onda de contaminação, a previsão de expansão para o próximo ano é 4,2%.