Economia

Diferença de preços entre etanol e gasolina desacelera a 71,01%


A relação entre valores dos combustíveis em São Paulo no mês de abril é a menor desde setembro de 2016, mas ainda segue acima do limite favorável para uso de biocombustíveis


  Por Estadão Conteúdo 04 de Maio de 2017 às 16:00

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


A relação entre os preços do etanol e os da gasolina diminuiu para 71,01% em abril na capital paulista, depois de ficar em 73,70% em março, de acordo com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). 

Trata-se da menor equivalência mensal desde setembro do ano passado (67,75%). Porém, o resultado segue acima do limite de 70% considerado desfavorável por especialistas para o uso do biocombustível.

Segundo André Chagas, coordenador do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) - que mede a taxa de inflação na cidade de São Paulo -, a tendência é de redução na relação entre os preços dos combustíveis, em razão do avanço na colheita de cana-de-açúcar. 

"[A colheita] deve puxar o preço do etanol para baixo, assim como o da gasolina, e a marca de 70% deve ser rompida em até duas semanas", diz Chagas

No IPC-Fipe de abril, que subiu 0,61% (de 0,14%), o etanol ficou 5,10% mais barato e a gasolina cedeu 1,98%. O grupo Transportes, por sua vez, atingiu alta de 0,16%, depois de ceder 0,49% em março. 

O coordenador do IPC explica que a aceleração do grupo deveu-se aos efeitos do reajuste em transporte urbano integração recentemente em São Paulo.

"Mas os impactos já terminaram em abril", afirma ele. 

FOTO: Thinkstock