Economia

Desemprego fica estável na região metropolitana de São Paulo


O número de assalariados com carteira de trabalho assinada caiu 1,5%, e aumentou o dos sem carteira (3,3%)


  Por Agência Brasil 27 de Junho de 2018 às 18:12

  | Agência de notícias da Empresa Brasileira de Comunicação.


A taxa de desemprego na região metropolitana de São Paulo manteve-se praticamente estável no mês passado, variando de 17,5% em abril para 17,4% em maio.

Segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), que divulgou a informação com a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Fundação Seade), o número de desempregados na região metropolitana atingiu 1,914 milhão de pessoas em maio, 29 mil a menos que no mês anterior.

De acordo com o Dieese e a Fundação Seade, o resultado decorreu da redução da População Economicamente Ativa -102 mil pessoas deixaram o mercado de trabalho na região - em intensidade superior à da queda do nível de ocupação - eliminação de 73 mil postos de trabalho.

Já o nível de ocupação caiu 0,8%, com o contingente de ocupados estimado em 9,086 milhões de pessoas. Segundo as duas entidades, isso decorreu da alta redução no setor de serviços, que perdeu126 mil postos de trabalho. As perdas não foram compensadas pelo aumento de postos de trabalho nos setores da indústria de transformação (26 mil vagas), da construção (14 mil) e do comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas (5 mil).  

O número de assalariados caiu 0,8% em maio, puxado principalmente pela redução no setor privado, no qual diminuiu o número de assalariados com carteira de trabalho assinada (-1,5%), mas aumentou o dos sem carteira (3,3%).

Também houve queda no número de autônomos (-3,0%) e cresceu o número de empregados domésticos (2,0%) e de ocupados nas demais posições (2,2%).

O rendimento médio real dos ocupados, entre março e abril deste ano, passou a valer, respectivamente, R$ 2.077 e R$ 2.136.