Economia

Criação de novas vagas tem maior queda desde 2009


O recuo em setembro foi de 15,5% ante agosto. No acumulado dos nove primeiros meses do ano, a queda medida pelo índice Catho-Fipe é de 6,6%


  Por Estadão Conteúdo 04 de Novembro de 2016 às 10:26

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


O índice Catho-Fipe de novas vagas de emprego, calculado com base nos anúncios de emprego no site de recrutamento, registrou queda de 23,9% em setembro, na comparação com igual período de 2015.

É o maior tombo na base de comparação interanual desde o fim de 2009. Frente a agosto, o recuo foi de 15,5%. No acumulado dos nove primeiros meses do ano, a queda medida pelo indicador é de 6,6%.

LEIA MAIS: Brasil perde 1,3 milhão de vagas em um ano

No índice que mede a proporção de vagas por candidato, o resultado, de volta ao nível de outubro de 2006, mostra um retrocesso de quase dez anos, com queda de 44,2% na comparação com setembro de 2015.

Foi o 26º mês consecutivo de baixa na comparação com mesmo mês do ano anterior, um recorde negativo na série histórica iniciada em 2004.

Ante agosto, houve decréscimo de 16,5% no índice de vagas por candidato. No acumulado de 2016, a queda nesse indicador é de 33,1%.

Também houve forte queda, de 24% na comparação com setembro de 2015, no índice da Catho que mede a relação entre vagas de emprego e a população economicamente ativa. Em relação a agosto, esse indicador mostrou recuo de 13,5%.

No acumulado de janeiro a setembro, comparativamente a igual período do ano passado, a queda foi de 8,3%. Quanto maior o valor desse índice, menor tende a ser a taxa de desemprego. Os indicadores são medidos pela Catho em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

IMAGEM: Thinkstock






Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade




Publicidade



Publicidade




Publicidade