Economia

Cresce o desemprego entre micro e pequenas empresas


Os empreendedores do comércio são os que mais estão fechando vagas de trabalho. Somente em março, 30,8 mil postos foram perdidos nesse setor


  Por Agência Sebrae 26 de Abril de 2016 às 19:06

  | Informações do Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena empresa


As micro e pequenas empresas tiveram, no mês de março, um saldo negativo de geração de empregos de 46,9 mil. Isso representa uma redução de 213,4% em relação ao mesmo período do ano passado, quando o saldo de empregos foi positivo de 41,3 mil. 

As informações constam no estudo mensal que o Sebrae elabora com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Previdência Social. 

LEIA MAIS: Uma pequena empresa na São Paulo Fashion Week

O presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, destaca que um dos fatores que podem prejudicar a geração de empregos entre os pequenos negócios é a demora na votação pelo Congresso Nacional de projetos que beneficiam as micro e pequenas empresas.

“Desde dezembro do ano passado, o projeto Crescer Sem Medo, que revisa os tetos e tabelas do Simples Nacional, está parado no Senado. O Brasil precisa melhorar o ambiente de negócios para gerar empregos. A paralisação do Congresso impacta diretamente o setor que sempre foi o principal gerador de empregos no país”, afirma.

Além da falta de votações de projetos que interessem aos pequenos negócios, Afif também destacou a falta de crédito como um dos fatores que têm influenciado os resultados negativos de geração de postos de trabalho entre as micro e pequenas empresas. 

“Os bancos diminuíram o crédito oferecido aos pequenos. Em momentos como o que estamos passando, as micro e pequenas empresas precisam de dinheiro para não fechar as portas”, diz.

SETORES

Em março, apenas as micro e pequenas empresas dos setores Serviços e Agropecuária tiveram um saldo positivo de, respectivamente, 1,7 mil e 6,1 mil empregos. 

Destaque para o Comércio, setor que mais concentra pequenos negócios, que apresentou um saldo negativo de empregos superior ao das empresas de médio e grande porte. 

Enquanto os pequenos negócios encerraram 30,8 mil vagas, as empresas de maior porte fecharam 11,2 mil.

LEIA MAIS: Com a economia em frangalhos, varejo aperta o cinto à espera da retomada