Economia

[Análise]Indústria segue crescendo, mas lentamente


Os dados de 2018 confirmam a fraqueza da recuperação da indústria, refletindo a lenta retomada da atividade econômica como um todo


  Por Instituto Gastão Vidigal 02 de Fevereiro de 2019 às 15:37

  | Da equipe de economistas da Associação Comercial de São Paulo (ACSP)


De acordo com o IBGE, em dezembro a produção industrial recuou 3,6%, em relação ao mesmo mês de 2017.

No acumulado em 12 meses, a produção do setor seguiu aumentando, porém, sem evitar a perda de intensidade, observada a partir do segundo semestre do ano passado.

Assim, o setor termina 2018 com crescimento de 1,1%, desacelerando de forma importante em relação a 2017, cuja alta alcançou 2,5%.

No contraste anual, as maiores contribuições positivas foram dadas pelas fabricações de veículos e de produtos farmacêuticos, enquanto as contrações mais importantes se originaram nos segmentos de produtos alimentícios, fumo e artigos de vestuário e acessórios.

O fraco resultado do ano passado se explicaria, por um lado, pela incerteza eleitoral e pelos efeitos deletérios da greve dos caminhoneiros, e, por outro, pela baixa demanda, fruto do elevado desemprego e do orçamento apertado das famílias, além da perda do mercado de automóveis argentino.

Em síntese, os dados de 2018 confirmam a fraqueza da recuperação da indústria, refletindo a lenta retomada da atividade econômica como um todo.

O expressivo aumento da confiança dos empresários do setor, registrado após as eleições, conjuntamente com a expansão do crédito e a maior geração de empregos, num contexto de também forte elevação da
confiança do consumidor, sugerem melhor resultado para o ano que recém começa.