Economia

Alta nos preços de presentes para as mães fica abaixo da inflação


Levantamento conduzido por economista da FGV aponta inflação média de 6,39% em presentes para as matriarcas da família


  Por Italo Rufino 05 de Maio de 2016 às 18:25

  | Repórter isrufino@dcomercio.com.br


O preço da maioria das sugestões de presentes para as mães subiu, em média, 6,39% entre maio de 2015 e abril de 2016, segundo levantamento realizado por André Braz, pesquisador e economista do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV/IBRE). 

O crescimento ficou abaixo da inflação acumulada pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC) calculada pela FGV/IBRE, que registrou alta de 9,13% no mesmo período. 

Os destaques de queda foram máquina de lavar roupa (-2,21%), geladeira e freezer (-2,16%) e máquina fotográfica e filmadora (-1,11). 

De acordo com Braz, a queda está relacionada à maior cautela do consumidor em comprar bens duráveis. A compra de itens de maior valor requer crédito, que está mais caro hoje do que em maio de 2015. Em março, a taxa de juros acumulada dos últimos 12 meses do cartão de crédito subiu para 432,34%. 

Ao mesmo tempo, devido ao desemprego e queda na renda das famílias, parte dos consumidores está postergando compras a prazo e novas dívidas. 

BENS E SERVIÇOS DE LAZER ESTÃO MAIS CAROS 

Os produtos e serviços enquadrados no grupo definido por Braz como “Presentes Culturais” apresentaram a maior média de inflação. A categoria Teatro, por exemplo, teve alta de 34,48%. 

“Esse aumento aconteceu principalmente por causa do aumento de custos com aluguel, energia elétrica e salários dos profissionais que atuam nos bastidores de um espetáculo”, afirma Braz. 

A categoria Vinho ficou em segundo lugar em maior alta, com inflação de 25,97%. De acordo com Braz, o aumentou foi causado, principalmente, por causa da desvalorização do real, que fez com que garrafas importadas tivessem aumento significativo de preço, o que também impulsionou para cima o valor dos vinhos nacionais. 

Paralelamente, o vinho nacional também ficou mais caro devido à recente alteração promovida pelo Governo Federal no cálculo do IPI sobre as chamadas bebidas quentes (vinho, cachaça, uísque e outros destilados). 

Braz acredita que, mesmo com tamanha alta, serviços e produtos de lazer, como teatro, cinema e jantar fora de casa, serão os presentes mais escolhidos neste Dia das Mães. 

“Embora esses serviços estejam mais caros que no passado, ainda são bem mais em conta do que bens duráveis, como eletrodomésticos. E também são uma forma de agradar toda as mães”, afirma Braz. 

Veja a lista completa de produtos e serviços selecionados pelo pesquisador e suas respectivas taxas de inflação: