Economia

A economia trocada em miúdos


Emilio Alfieri, foto, economista da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), analisa o momento da economia brasileira e afirma que as perspectivas para 2020 são boas.


  Por Wladimir Miranda 16 de Agosto de 2019 às 17:07

  | Repórter vmiranda@dcomercio.com.br


A agricultura, mais uma vez, pode ser a salvação da economia nacional. Embora não tenha tido um crescimento notável, como em 2017, quando cresceu 28%, agora, em 2019, já cresceu 5,8%, o que colabora, e muito, para a queda da inflação.
O que isto pode afetar no Produto Interno Bruto (PIB), os efeitos da crise argentina e as expectativas para a economia em 2020 são os assuntos abordados nesta entrevista que o economista Emilio Alfieri, da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), concedeu ao Diário do Comércio.

É a economia trocada em miúdos.

O que é o Produto Interno Bruto (PIB)?

É a somatória dos bens e serviços produzidos na economia durante um período, que pode ser um ano, ou até três meses.

Qual o papel do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na economia? O que o instituto mede?

O IBGE engloba todos os setores da economia, como a indústria, comércio, serviços e agricultura. Como é uma pesquisa ampla, demora um pouco. Então, o Banco Central faz uma pesquisa setorial e solta uma prévia. O que vemos na pesquisa PIB/BC é uma estimativa.

E esta estimativa PIB/BC o que mostra?

Mostra que a agricultura, que se destacou em 2017 e salvou o PIB do ano, quando cresceu 28%, teve um crescimento agora em 2019 de 5,8%. Não se trata de uma super safra, mas é uma safra importante. Não vai salvar o PIB, mas fazer com que a inflação e os juros caiam. Aliás, os juros já estão caindo. Na última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), órgão decisório da política monetária do Banco Central, os juros da taxa Selic caíram.

E em que a crise da Argentina afeta o Brasil?

Afeta, e muito, porque a Argentina é o terceiro mercado importador de produtos brasileiros. Só perde para a China e os Estados Unidos. Fundamentalmente a Argentina compra produtos manufaturados do Brasil. Com a queda do PIB da Argentina, o setor industrial brasileiro foi muito prejudicado. Para a indústria brasileira, a Argentina é muito importante. A produção da indústria brasileira caiu 1,6%

Temos alguma notícia boa no horizonte?

A notícia boa é que os juros e a inflação estão baixando. Quando os preços caem, os juros obrigatoriamente têm de cair também. Há uma defasagem de seis meses. Assim, os resultados positivos só vão aparecer em 2020. A perspectiva para 2020 é favorável. Não teremos uma economia de encher os olhos, de provocar inveja. Mas, certamente o mercado de trabalho abrirá mais vagas.

IMAGEM: Wladimir Miranda