Brasil

Usuários de patinete ignoram equipamento de segurança


Levantamento do Procon-SP diz que, entre pessoas que já utilizaram os serviços, 81% dizem que não usam equipamentos de segurança. Prefeitura prevê multas de até R$ 20 mil para esses casos


  Por Estadão Conteúdo 06 de Junho de 2019 às 13:01

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


Um levantamento da Fundação Procon-SP diz que, entre pessoas que já utilizaram serviços de aluguel de patinetes elétricos na cidade de São Paulo, 81% dizem que não usam equipamentos de segurança.

Além disso, cerca de 11% dos consultados responderam que usam o equipamento nas calçadas da capital, e 9% transitam nas ruas. A entidade ouviu 391 usuários, em um universo de 1,3 mil entrevistados.

O uso do patinete elétrico sem capacete e fora das ciclofaixas contraria as regras da Prefeitura, que prevê multas de até R$ 20 mil para esses casos. Segundo o Procon, as ciclofaixas são usadas por 57% dos usuários.

Nesta quinta-feira (6/6), os patinetes da empresa Grow, dona das marcas Grin e Yellow, voltaram a operar na cidade após o início da fiscalização. Em nota, a empresa disse que orienta os usuários a seguirem as regras da Prefeitura.

O levantamento do Procon-SP mostra que só 37% dos usuários dizem ter lido o termo de uso e a política de privacidade ao alugar um equipamento. A maior parte (43%) apenas aceitou os termos sem ler nada.

A fundação, ligada à Secretaria Estadual de Justiça e Cidadania, também levanta outros questionamentos relacionados à segurança, como o fato de quase 65% dos usuários responderem que não sabiam utilizar o patinete ao alugar o equipamento.

"Verificamos que as empresas não oferecem nenhum tipo de treinamento prévio aos usuários para o uso dos patinetes", diz o relatório do Procon-SP.

"Algumas apresentaram desenhos ilustrativos de como os utilizar em seus sites e uma delas informou que há um vídeo disponível na internet, mas não o localizamos."

Entre as pessoas que não sabiam utilizar o patinete, no entanto, nove a cada dez não tiveram dificuldade com o equipamento.

A maioria usa os patinetes elétricos para se locomover de casa para o trabalho, a escola ou a faculdade - é o caso de 55% dos usuários.

Cerca de 45% usa os equipamentos principalmente por lazer. Para 80% dos entrevistados, entre eles os que não utilizam o serviço, o patinete elétrico é uma boa alternativa de transporte na capital.

Ao mesmo tempo, 72% acreditam que deve haver regulamentação em pontos como regras para transitar e uso de equipamentos de segurança. O questionário sobre o uso de patinetes elétricos na cidade foi disponibilizado no site da fundação entre os dias 14 e 27 de maio.