Brasil

Taxa de ocupação no varejo teve queda de 0,5% em 2015


Ao comentar levantamento do IBGE, Alencar Burti, presidente da ACSP e Facesp, disse que isso se deve às incertezas que abalam a economia e resultam no fraco desempenho de vendas


  Por Redação DC 28 de Janeiro de 2016 às 17:31

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


Pesquisa Mensal de Emprego, divulgada nesta quinta-feira (28/01) pelo IBGE revelam que, em 2015, a taxa de ocupação no comércio brasileiro caiu 0,5% sobre o ano anterior.

Em dezembro passado, a taxa recuou 2,5% ante o mesmo período de 2014 – o que representa um corte de 112 mil vagas de trabalho. Na mesma base de comparação, o rendimento médio real do trabalhador apresentou retração de 5,6%.
 
“Os resultados refletem as condições econômicas desfavoráveis que afetam todos os setores produtivos do País, entre eles o comércio varejista", afirma Alencar Burti, presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp). "Tanto a quantidade de empregos quanto o rendimento anual estão caindo no setor. Tudo isso se deve a incertezas internas e externas que abalam a economia brasileira e, inevitavelmente, resultam no fraco desempenho das vendas.”

Para Burti, a perspectiva é de retração nos próximos meses. Quanto ao restante do ano, a expectativa dependerá de medidas que venham, ou não, ser adotadas pelo governo. 

De acordo com o presidente da ACSP, o empresário varejista precisa ficar ainda mais atento neste ano, pois a elevação do desemprego vai derrubar ainda mais o consumo das famílias.

“O lojista precisa se esforçar, fazer liquidações e promoções, renegociar contratos com fornecedores e oferecer preços mais baixos. E precisa evitar, ao máximo, elevar os preços neste momento”, finaliza Alencar Burti.