Brasil

Simpatizantes promovem atos pró-Bolsonaro em 22 capitais


Em São Paulo, no Rio e em Brasília (foto), além de outras 20 capitais, os manifestantes se organizaram para apoiar o candidato do PSL e protestar contra a possível volta do PT.


  Por Estadão Conteúdo 21 de Outubro de 2018 às 21:13

  | Agência de notícias do Grupo Estado


Em São Paulo, no Rio e em Brasília, além de outras 20 capitais, os manifestantes se organizaram para apoiar o candidato do PSL e protestar contra a possível volta do PT.

Em São Paulo, o ato começou por volta de 14h na Avenida Paulista, que fica fechada para os carros entre 10h e 18h de todos os domingos e feriados, com apoiadores do candidato criticando Fernando Haddad, o PT e pedindo mudanças.

Cinco carros de som foram pela avenida. Os movimentos Avança Brasil, Vem pra Rua, MBL e Nas Ruas estiveram entre os presentes.

Bonecos infláveis do ex-presidente Luiz Inacio Lula da Silva, condenado e preso pela Operação Lava Jato, com roupa de presidiário e do vice de Bolsonaro, General Mourão (PRTB) foram erguidos na Paulista.

No carro de som do Vem Pra Rua, há uma bandeira com referência ao discurso do ex-governador do Ceará Cid Gomes em comício do PT, na semana passada. Os organizadores puxaram o canto “Ô, seus babacas, presta atençao, Lula tá preso e vão perder a eleiçao”. O hino nacional foi tocado em seguida.

A deputada estadual eleita pelo PSL, Janaína Paschoal, discursou em nome do combate à corrupção e ao PT. “Eu fiz uma promessa ao Helio Bicudo e eu vou cumpri-la.

Nós vamos tirar a turminha deles do Brasil. Ninguém vai nos dividir. Eles vão ter que aceitar o resultado das urnas”, afirmou. Ela também intimou o candidato do PT, Fernando Haddad, a discutir as verdadeiras notícias, chamadas por ela de “true news”.

DISTRITO FEDERAL E RIO

Em Brasília, os manifestantes se concentraram em frente ao Congresso Nacional no início da manhã e saíram em carreata por toda a Esplanada dos Ministérios.

Vestidos de verde e amarelo e com faixas de apoio ao candidato, eles criticavam uma eventual volta do PT ao poder. Procurada, a Polícia Militar do Distrito Federal informou que não fez estimativa de público presente.

No Rio, os manifestantes se concentraram na praia de Copacabana. Em Minas Gerais, o ato ocorreu em Belo Horizonte, na Praça da Liberdade, uma das mais importantes da capital mineira.

SALVADOR

Mesmo sob chuva intensa e ventos fortes na orla marítima de Salvador, centenas de simpatizantes do candidato foram ao Farol da Barra, um dos principais pontos turísticos de Salvador, "para derrubar o PT". Era assim que os militantes que se revezavam ao microfone anunciavam a manifestação, que contou com a presença de dirigentes do PSL e do PRTB, além de lideranças de movimentos como o Vem Pra Rua e Movimento Brasil Livre (MBL), como o deputado federal eleito Kim Kataguiri.

"Pelo fim do Foro de São Paulo", "pela morte do Celso Daniel", "para acabar com a roubalheira", "para defender nossas crianças da prostituição" eram algumas das bandeiras repetidas nos dois trios elétricos que ocupavam o Largo do Farol. Camisas com a frase "O Lula está preso, babaca", em referência ao discurso do senador eleito Cid Gomes (PDT) contra eleitores petistas, também eram muito presentes.

BELO HORIZONTE

Na capital mineira, A manifestação favorável a Bolsonaro foi organizada pelo Movimento Brasil Livre (MBL) e pelo Vem Pra Rua. O ato começou às 10h e o público passou se dispersou logo depois de 12h. Entre os manifestantes, muitas faixas pedindo voto por cédulas de papel e criticando o uso das urnas eletrônicas foram vistos.

Os participantes também disseram ser “caixa-dois do Bolsonaro” e alguns foram fantasiados com caixas, em referência ao pedido de impugnação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra Bolsonaro levado adiante pelo adversário, Fernando Haddad, do PT.

PORTO ALEGRE

Em Porto Alegre, os manifestantes vestiam camisetas verde e amarelas e portavam bandeiras do Brasil. A concentração foi na avenida Goethe, área nobre da capital gaúcha, como no ato do dia 30 de setembro. De um carro de som, políticos e apoiadores do presidenciável se revezavam nos discursos. "Fora, PT" e "nossa bandeira jamais será vermelha" foram gritos entoados em vários momentos. Também houve críticas às urnas eletrônicas e aos institutos de pesquisa.

O atual governador e candidato à reeleição ao governo gaúcho nas eleições 2018, José Ivo Sartori (MDB), chegou no final do ato. "Vamos, como o MDB (gaúcho) decidiu, apoiar Jair Bolsonaro, para todos juntos, sem vacilação, mudarmos o nosso País,", disse o emedebista. Além de bandeiras e faixas do candidato do MDB, muitas pessoas portavam bandeiras de Eduardo Leite, candidato tucano ao governo do RS. Tanto Sartori quanto Leite declararam apoio a Bolsonaro.

MACEIÓ

Vestindo camisas nas cores verde e amarela, além de estampas com o rosto do candidato que é líder nas pesquisas eleitorais, os manifestantes percorreram três quilômetros pela orla de Maceió. Vários moradores de edíficios observaram a manifestação e apoiavam Bolsonaro. A Polícia Militar não divulgou o número de participantes.

Muitos policiais civis e militares, além de outras categorias, como médicos, gritavam palavras em favor de Jair Bolsonaro. O ato pró-candidato do PSL aconteceu um dia depois da manifestação contrária à sua candidatura, quando apoiadores de Fernando Haddad fizeram o mesmo percurso pela orla de Maceió.

CURITIBA

O ato em Curitiba foi organizado pelas redes sociais e contou com quatro carros de som e bonecos infláveis de Lula vestido de presidiário, e de Bolsonaro com a faixa presidencial. A concentração começou por volta das 15h, na Boca Maldita, no calçadão no centro de Curitiba, local conhecido por receber manifestações políticas.

Os presentes vestiam camisetas das cores verde e amarela e portavam cartazes com frases contra o PT e a favor de Bolsonaro. Políticos e líderes de grupos anti-corrupção da capital paranaense discursaram nos carros de som, que também entoavam músicas da campanha do candidato do PSL.

Os organizadores do evento também pediam aos presentes que atuassem como fiscais das urnas eletrônicas no dia da eleição, tirando fotos dos boletins do equipamento para conferência com os dados da justiça eleitoral. Às 17h30, os manifestantes começaram a se dispersar.

RECIFE

Fantasiados de “caixa 2”, muitos apoiadores do candidato participaram de caminhada na tarde deste domingo em Recife. Os apoiadores do deputado ironizaram a decisão da Polícia Federal em investigar, a pedido da Procuradoria-Geral da República, as suspeitas do crime eleitoral na campanha do parlamentar.

A manifestação foi aberta com uma mensagem gravada por Bolsonaro e direcionada aos eleitores nordestinos. “Amigos do Nordeste juntos colocaremos o Brasil no seu devido lugar. Sem distinção, sem preconceito e sem divisões entre nós”, disse Bolsonaro.

Em entrevista coletiva no Rio na tarde de domingo, Bolsonaro disse que as manifestações são um sinal "de que a população está realmente preocupada com o futuro do Brasil" e querem alguém diferente do PT na Presidência. "Sou grato a eles que, no momento, não fazem por eles, mas fazem pelo Brasil", afirmou. Segundo a última pesquisa Ibope/Estado/TV Globo do segundo turno, divulgada em 15 de outubro, o deputado tem 59% dos votos válidos, contra 41% do petista.

VITÓRIA
No Espírito Santo, segundo estimativa da Polícia Militar, cerca de 25 mil pessoas participaram do ato favorável a Bolsonaro na capital. Idosos, adultos e crianças acompanharam trios elétricos cantando o hino nacional. Vestidos de verde e amarelo, muitos estavam com cartazes pedindo um fim à corrupção. Com apitos e buzinas, motoristas e caronas que estavam do outro lado da pista apoiavam as pessoas na passeata.

Eleitores de Bolsonaro inflaram um balão enorme com o formado do ex-presidente Lula vestido com roupa de presidário. Outros trouxeram também caixões cobertos com panos vermelhos. Vários manifestantes faziam poses com as mãos simbolizando armas em direção à estrutura de madeira.

O protesto terminou na praça do papa, por volta das 16h40, quando a multidão começou a dispersar. A PM afirmou que não houve registro de nenhuma ocorrência de confusão ou danos a patrimônios durante a manifestação.

Também houve atos em São Luís (MA), Campo Grande (MS), Natal (RN), Fortaleza (CE), Aracaju (SE), Rio Branco (AC), Manaus (AM), Macapá (AP), Belém (PA), Palmas (TO), Boa Vista (RR), Porto Velho (RO) e Goiânia (GO).

FOTO: José Cruz/Agência Brasil