Brasil

São Paulo aumenta restrições para atividades econômicas


Com avanço da pandemia no estado, cidades do interior paulista foram recolocadas em fases mais duras do plano de flexibilização da quarentena


  Por Redação DC 15 de Janeiro de 2021 às 13:44

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


O avanço da pandemia no estado de São Paulo fez o governo paulista endurecer novamente as restrições para as atividades empresariais em algumas regiões.

A partir de segunda-feira, 18/01, a região de Marília recua da fase laranja para a vermelha do Plano São Paulo, que regula as restrições periodicamente à medida que os indicadores da pandemia são analisados. A fase vermelha é a de maiores restrições.

As regiões de Araçatuba, Bauru, Franca, Piracicaba, São José do Rio Preto, Taubaté e Ribeirão Preto, que estavam na fase amarela, recuam para a fase laranja.

Recentemente o governo paulista liberou o funcionamento de todas as atividades para regiões que estão na fase laranja. Além disso, a capacidade de atendimento presencial, que nesta fase era limitada a 20%, foi ampliada para 40%.

O horário máximo de funcionamento também foi estendido na fase laranja, de 4 horas por dia para 8 horas. Os estabelecimentos precisam fechar às 20 horas

Na fase laranja, os bares não podem realizar atendimento presencial.

Na fase amarela, os estabelecimentos podem funcionar com até 40% da ocupação máxima. Eles podem operar por até 10 horas diárias. Os bares podem realizar atendimento presencial nesta fase até as 20 horas.

Na fase vermelha, apenas atividades essenciais são permitidas.


Segundo Patricia Ellen, secretária de Desenvolvimento Econômico do estado, foi necessário antecipar em quase um mês a reclassificação pelo avanço da pandemia em janeiro, especialmente na última semana.

O governo paulista destaca que o avanço dos números da covid-19 no estado foi causado pelas “aglomerações das festas do final do ano”.

Na comparação com a semana anterior, o número de casos no estado de São Paulo aumentou 5%. Os óbitos cresceram 2% e as internações, 10%.

A taxa de ocupação dos leitos de UTI no estado se encontra em 67,5%. Na Grande São Paulo, está em 69%. Quase 50 mil pessoas morreram no estado pela covid-19 até então.

RECOMENDAÇÕES

Além de aumentar as restrições, o governo paulista fez recomendações. Uma delas, para empresa, é limitar a 25 pessoas as reuniões de trabalho em locais fechados, com distanciamento de 1,5 metros entre elas.

Foi falado ainda que serão adotadas medidas mais duras em municípios que estão com UTIs com ocupação acima de 80%.

A Defesa Civil também passará a disparar SMS sobre a situação da pandemia para pessoas que estão cadastradas em seus canais de comunicação.

 

 






Publicidade




Publicidade







Publicidade