Brasil

Porta-voz do governo confirma exoneração de Bebianno


O ministro da Secretaria-Geral da Presidência é acusado de supostas irregularidades nas campanhas eleitorais e entrou em atrito com Carlos Bolsonaro, filho do presidente


  Por Estadão Conteúdo 18 de Fevereiro de 2019 às 18:42

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


O porta-voz do governo de Jair Bolsonaro, Otávio Rêgo Barros, confirmou nesta segunda, 18/02, que o ministro Gustavo Bebianno, da Secretaria-Geral da Presidência, sairá do cargo. Em seu lugar, assumirá o general Floriano Peixoto de forma definitiva. Ele era o secretário-executivo da pasta.

Bebianno é o protagonista da maior crise nos primeiros meses do novo governo, suspeito de irregularidades em campanhas do PSL e envolvido em rusgas com um dos filhos do presidente, o vereador Carlos Bolsonaro (PSL-RJ).

Em nota lida pelo porta-voz, Bolsonaro deseja "sucesso na nova caminhada" e agradece Bebianno por sua "dedicação". 

Questionado sobre o motivo da demissão, Rêgo Barros afirmou apenas que a exoneração do agora ex-ministro foi "decisão de foro íntimo do presidente". O porta-voz também negou que Bolsonaro tenha deixado a exoneração assinada desde a última sexta-feira, 15. "O presidente assinou o documento nesta segunda", disse.

Ainda sobre a demora da demissão em ser oficializada - ela já era dada como certa desde sexta-feira -, Rêgo Barros afirmou que o presidente "demandou o tempo necessário para tomar sua decisão considerando vários atores".

Bebianno vem sendo acusado de supostas irregularidades nas campanhas eleitorais do PSL ocorridas na época em que ele presidia o partido, que também tem o presidente Bolsonaro como filiado.

A crise cresceu quando o vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente, chamou Bebianno de mentiroso, declaração que foi reforçada pelo próprio presidente.

BOLSONARO

Em vídeo divulgado nas redes sociais, minutos após seu porta-voz confirmar a exoneração de Gustavo Bebianno da Secretaria-Geral da Presidência, o presidente Jair Bolsonaro disse que "diferentes pontos de vista sobre questões relevantes levaram à reavaliação" da situação do agora ex-ministro no governo.

Bolsonaro disse que reconhece que o trabalho de Bebianno "foi importante para o êxito da campanha", mas, segundo ele, "pode ter havido incompreensões de questões mal entendidas de parte a parte". Na gravação, Bolsonaro afirmou que "reconhece a dedicação e o comprometimento do senhor Gustavo Bebianno", agradece o empenho do ex-auxiliar, e deseja "sinceros votos de sucesso". 

A divulgação do vídeo ocorreu pouco depois de o porta-voz Otávio Rêgo Barros dizer que o motivo para a decisão de exonerar Bebianno era de "foro íntimo" do presidente. Na semana passada, Bolsonaro chegou a afirmar, em entrevista à TV Record, que o ministro havia mentido sobre conversas que os dois teriam mantido enquanto o presidente estava internado em um hospital em São Paulo.

 

IMAGEM: Valter Campanato/Agência Brasil