Brasil

Polícia Federal prende novamente ex-presidente da Eletronuclear


Othon Luiz Pinheiro (na foto) continuava exercendo influência sobre a empresa, subsidiária da Eletrobras, mesmo estando em prisão domiciliar


  Por Agência Brasil 06 de Julho de 2016 às 09:22

  | Agência de notícias da Empresa Brasileira de Comunicação.


A Polícia Federal prendeu na manhã desta quarta-feira (06/07) o ex-presidente da Eletronuclear, Othon Luiz Pinheiro da Silva, num condomínio na Barra da Tijuca, na zona oeste da cidade, onde já cumpria prisão domiciliar.

Ele foi levado para a sede da PF, na Praça Mauá, no Centro da cidade, de onde seguirá para o Complexo Penitenciário de Bangu, na zona Oeste da cidade.

A prisão do ex-presidente da Eletronuclear ocorre no âmbito da Operação Pripyat, deflagrada no início desta manhã. O nome da operação é uma referência à cidade ucraniana onde ocorreu o acidente nuclear de Chernobyl.

LEIA MAIS: Lava Jato reforça o fantasma da baixo autoestima dos brasileiros

MOTIVO

Othon Luiz Pinheiro foi preso porque continuava exercendo influência sobre a empresa, subsidiária da Eletrobras, mesmo estando em prisão domiciliar.

Segundo o procurador da República Lauro Coelho Jr., mesmo após a prisão, a Eletronuclear produziu documentos que foram usados na defesa de Pinheiro no processo que corre na Justiça federal do Rio, originado na 16ª fase da Operação Lava Jato, denominada Radioatividade.

Já o atual presidente da Eletronuclear, Pedro José Diniz Figueiredo, foi acusado de interferir na comissão interna de investigação da subsidiária da Eletrobras, afirmou o delegado federal Frederico Skora, responsável pela investigação. "Ele exercia pressão sobre os funcionários, indicando como deveriam proceder nas oitivas", disse o delegado.

Figueiredo foi conduzido de forma coercitiva para depor na operação deflagrada nesta quarta e seu afastamento do cargo foi determinado pela Justiça federal do Rio. O presidente é o único executivo da Eletronuclear da ativa entre os alvos da operação de hoje.

FOTO: Alaor Filho/EC

*Com informações de Estadão Conteúdo