Brasil

O povo volta às ruas contra Lula e por impeachment de Dilma


Mobilização bloqueou a avenida Paulista na noite desta quarta-feira (16/03) com milhares de manifestantes pedindo a saída de Lula da Casa Civil e o afastamento da presidente. Protestos se espalham por outros capitais


  Por Estadão Conteúdo 16 de Março de 2016 às 22:00

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


Após a divulgação das conversas telefônicas que sugerem favorecimento ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silvaa população voltou às ruas contra a nomeação de Lula para a Casa Civil e a favor da renúncia de Dilma Rousseff da presidência da República.

Ao longo da noite, milhares de manifestantes que deixavam o expediente de trabalho engrossavam o coro contra o PT nas principais vias de São Paulo e em frente ao Palácio do Planalto, em Brasília. Também há protestos no Rio de Janeiro, Fortaleza, Belo Horizonte e Curitiba. 

Milhares de manifestantes ocuparam mais de quatro quarteirões da Avenida Paulista e concentraram-se em frente ao prédio da Federação das Industrias do Estado de São Paulo (Fiesp), que permaneceu com as luzes acesas e uma faixa de luto com a legenda "Renúncia Já".

O presidente da entidade, Paulo Skaf, convocou para a quinta-feira, às 15 horas, uma reunião de emergência com sindicatos, associações, federações das indústrias e congêneres associadas à Fiesp.

PRÉDIO DA FIESP, EM SP: "RENÚNCIA JÁ"

 

 A reunião terá como objetivo discutir o agravamento da crise política e econômica no País. Mais cedo, Skaf disse que a ida do ex-presidente Lula para a Casa Civil é um "golpe contra a nação brasileira".

Também houve panelaço em vários bairros da zona sul, como Moema, e em frente ao prédio em que mora o ex-presidente Lula, em São Bernardo do Campo. Carros passam buzinando na rua Pouso Alegre, onde fica o Instituto Lula, no Ipiranga, zona sul de São Paulo. 

Alguns gritam ofensas contra o ex-presidente, outros usam cornetas como incremento ao barulho dos veículos. Num clube vizinho ao instituto foram ouvidos rojões, aparentemente soltos dentro do prédio do clube.

Lula deixou o prédio por volta de 20h15 sem falar com a imprensa. Enquanto ele estava no prédio cerca de dez manifestantes protestaram na calçada, batendo palmas e chamando o ex-presidente de "ladrão". Eles se dissiparam e não houve registro de violência física.

BRASÍLIA

Em Brasília, uma multidão formada por mais de 5 mil pessoas protestava em frente ao Palácio do Planalto por volta das 22 horas. Eles tomaram parte da Praça dos Três Poderes, a principal via de acesso à região central de Brasília. 

Houve confronto com grupos de apoiadores de Lula, e a polícia precisou intervir. A PM também cercou o palácio do Planalto para evitar a invasão de manifestantes. 

Dois caminhões blindados do Batalhão de Choque e um ônibus da Polícia Militar acabam de chegar à via de acesso à residência oficial da Presidência da República.

O local estava bloqueado pela segurança presidencial e apenas carros oficiais foram autorizados a ultrapassar a barreira.

Os manifestantes que protestavam, desde o final da tarde, em frente ao Palácio do Planalto estão se deslocando, neste momento para a entrada do Congresso Nacional. Com gritos de "Fora PT", o grupo se posiciona em frente ao gramado principal do Congresso.

MAIS DE CINCO MIL PESSOAS PROTESTARAM EM BRASÍLIA

O protesto é contra o governo Dilma Rousseff e a nomeação do ex-presidente Lula para a Casa Civil. A segurança no local foi reforçada, inclusive, com policiais de escudo e capacete. Houve correria e A polícia tenta evitar a aproximação de pessoas ao Congresso. 

Deputados da oposição se juntaram aos manifestantes, entre eles os deputados João Gualberto (PSDB-BA), Daniel Coelho (PSDB-PE), Darsício Perondi (PMDB-RS) e Ricardo Tripoli (PSDB-SP). Além disso, estão presentes lideranças dos movimentos Vem pra Rua, Brasil Livre e Diferença Brasil. Os ânimos estão exaltados na Câmara dos Deputados. Parlamentares gritam e pedem o impeachment da presidente Dilma Rousseff.

RIO DE JANEIRO

Por volta das 20 horas, manifestantes fecharam a Avenida das Américas, na altura da Avenida Salvador Allende, na Barra da Tijuca (zona oeste), em um protesto contra o governo. A Polícia Militar não informou a estimativa de público. Às 21h, os manifestantes continuavam na via.

FORTALEZA

De acordo com os organizadores, 500 pessoas protestam contra a presidente Dilma, esta noite, na Praça Portugal, em Fortaleza. Vestidos de verde e amarelo e portando bandeiras do Brasil, cantam "Olê! Olê! Estamos na rua para derrubar o PT". A intenção dos manifestantes é ficar até meia-noite no local.

Em Belo Horizonte e Curitiba também foram feitos protestos, com manifestantes destacando o trabalho do juiz federal Sergio Moro, que está à frente da operação Lava Jato. 

FOTOS: Nando Matheus/Raw Imagem/EC;Igor Estrela/FrameFoto/EC;Bruno Boccchini/Agência Brasil