Brasil

Morre Clóvis Rossi, decano do jornalismo


Considerado um dos mais prestigiados jornalistas brasieiros, Rossi começou a carreira em 1963 e passou por alguns dos principais veículos da imprensa


  Por Estadão Conteúdo 14 de Junho de 2019 às 10:24

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


O jornalista Clóvis Rossi morreu na madrugada desta sexta-feira (14/06), aos 76 anos. A família informou a morte na conta dele no Facebook. Rossi nasceu em São Paulo no dia 25 de janeiro de 1943 e foi editor-chefe do jornal O Estado de S.Paulo. Atualmente, era colunista da Folha de S.Paulo. Segundo o jornal, ele morreu em casa, onde se recuperava de infarto ocorrido na semana passada. Deixa mulher, três filhos e três netos.

O ataque cardíaco foi informado pelo jornalista em sua última coluna, publicada na quarta, 12/06. Com o título de Boletim Médico, Rossi fez questão de contar aos seus leitores o motivo de, no domingo anterior, não ter escrito como de costume. "É uma satisfação devida ao leitor, se é que há algum. Sofri um micro-infarto na sexta, 7, fiz a angioplastia, recebi um stent e, na terça, 11, outra angioplastia, com mais quatro stents", explicou.

Com total transparência, Rossi ainda informou que os médicos calculavam que poderia ter alta na quinta, 13, e voltar à atividade profissional normal na próxima semana.

Considerado um dos mais prestigiados jornalistas do País, Clóvis Rossi começou a carreira em 1963 e passou por alguns dos principais veículos da imprensa.

No Estadão atuou em diversas coberturas internacionais (uma de suas especialidades) e chegou a ser editor-chefe. Atuou também no Correio da Manhã, na revista Isto É, no jornal espanhol El País (onde manteve um blog) e, por último na Folha de S.Paulo, onde trabalhava desde 1980.

Experiente, ganhou diversos prêmios internacionais de jornalismo, entre eles o Maria Moors Cabot, da Universidade de Columbia, pelo conjunto da obra, e o da Fundação Nuevo Periodismo Ibero-Americano, criada por Gabriel García Márquez.

Também escreveu livros: "Clóvis Rossi, Enviado Especial, 25 Anos ao Redor do Mundo" e "O que é Jornalismo". Por seu histórico, era presença frequente no Fórum Mundial de Davos.

Palmeirense e torcedor do Barcelona, onde morou, Rossi será velado no Cemitério Gethsêmani, em São Paulo. O início da cerimônia está previsto para 15h desta sexta-feira e o enterro será no sábado, 15, às 11h.

FOTO: YouTube/Reprodução