Brasil

Mayra Aguiar, um bronze merecido como consolo


A judoca brasileira perdeu para a francesa Audrey Tcheumeo na semifinal, mas soube superar a decepção e conquistou a medalha de bronze, contra a cubana Yalenis Castillo


  Por Wladimir Miranda 11 de Agosto de 2016 às 17:31

  | Repórter vmiranda@dcomercio.com.br


Não foi fácil para Mayra Aguiar superar a decepção por perder a semifinal. Pior, foi ser derrotada por causa de uma punição da arbitragem, não por mérito da adversária, a francesa Audrey Tcheumeo. A derrota não desanimou Mayra, que voltou para a disputa do bronze muito motivada.

A motivação era tanta, que a brasileira não deu a menor chance para a cubana Yalennis Castillo. No final, mais uma medalha para o Brasil, agora de bronze.

Com o bronze de Mayra Aguiar, o Brasil chegou à terceira medalha nos Jogos Olímpicos Rio-2016. Tem uma de prata, Felipe Wu, no tiro esportivo, uma de ouro, de Rafaela Silva, também no judô, e agora o bronze de Mayra, na categoria 78 kg.

Mayra também conquistou a medalha de bronze em Londres 2012 e o título mundial em 2014.

"Uma satisfação para o atleta conquistar uma medalha olímpica. Achei que não fosse ter esse sentimento de novo, mas é muito forte mesmo. Medalha olímpica é muito bom mesmo", disse ao SporTV.

Foi uma vitória por um yuko, mas que não refletiu a superioridade de Mayra. Ela foi superior à adversária e quase derrotou a cubana por imobilização logo no início da disputa.

Yalennis Castillo é a 61ª no ranking mundial. Em Pequim, foi medalha de prata.

Na sexta-feira (12/08) Maria Suelen Altheman e Rafael Silva lutam, a partir das 10h. A expectativa do Brasil era superar quatro medalhas conquistadas em Londres-2012. Isto não será mais possível. No máximo, os brasileiros empatarão o total de Londres.

O CAMINHO DE MAYRA AGUIAR

Na estreia, contra a australiana Miranda Giambelli, Mayra ganhou com rapidez e facilidade. Em 42 segundos. Antes dela, só Rafaela Silva, campeã dos leves (57kg), havia sido tão rápida. Foi na primeira rodada, quando venceu a alemã Myriam Roper em 45 segundos.

Na segunda luta, Mayra ganhou da alemã Luise Malzahn, a quinta colocada do ranking mundial. Venceu com um shido, por falta de combatividade, aplicado contra a rival a um minuto do fim.

Depois, Mayra foi derrotada na semifinal pela francesa Audrey Tcheumeo.

AMEAÇA DE BOMBA
Clima tenso na Arena Carioca 1, no Parque Olímpico, antes do jogo desta quinta-feira (11/08), entre Espanha e Nigéria. Uma ameaça de bomba impediu que o público entrasse na arena para assistir ao jogo.

Por volta das 19 horas foi ouvida uma explosão no local. As informações dão conta de que teria sido encontrada uma mochila no local, que foi detonada pelo esquadrão antibomba.

O fato provocou apreensão nos profissionais de imprensa credenciados para o jogo, que começou no horário previsto, sem a presença de público. A torcida só foi liberada para entrar no local por volta das 19h06. As investigações ficaram a cargo da Polícia Federal.

SUÁSTICA VIRA MOTIVO DE DISCÓRDIA
Uma suástica, símbolo do nazismo, criou uma grande confusão dentro do Comitê Organizador da Rio-2016. A imagem apareceu na sala reservada ao descanso de colaboradores que atuam na arena olímpica de ciclismo de estrada contrarrelógio, no Pontal, Zona Oeste.

O símbolo nazista incomodou trabalhadores judeus da instalação. Um deles se organizou para denunciar a apologia ao preconceito. Foi desencorajado por uma gerente do próprio Comitê.

FOTO: Fernando Frazão / Agência Brasil