Brasil

Macron vence eleições na França, apontam pesquisas


Em discurso logo após o fechamento das urnas, disse que vai trabalhar pela unidade do país


  Por Agência Brasil 07 de Maio de 2017 às 17:24

  | Agência de notícias da Empresa Brasileira de Comunicação.


O candidato centrista Emmanuel Macron venceu neste domingo o segundo turno das eleições presidenciais da França com vantagem de 30 pontos percentuais sobre sua adversária, a líder da extrema direita Marine Le Pen, segundo as primeiras projeções dos institutos de pesquisa do país após o fechamento das urnas.

De acordo com as estimativas de votos válidos divulgadas pela imprensa francesa, Macron teria obtido 65% dos votos contra 35% de Le Pen, com uma participação de 75%, um dos índices mais baixos da história das eleições no país.

Os resultados de Macron, melhores do que as pesquisas tinham previsto nas duas semanas entre o primeiro e o segundo turno, oscilam entre 65,1%, segundo o Instituto Ipsos, e os 65,9% projetados pelo Instituto Elabe, segundo a emissora BFMTV.

Outras pesquisas, como a realizada pelo Instituto Sofres para a TF1 também colocam o centrista no limite de conseguir o apoio de dois terços dos eleitores franceses.

A participação, que estaria entre o 74% e o 75%, é a mais baixa registrada no segundo turno das eleições presidenciais na França desde 1969, quando Georges Pompidou foi eleito

LE PEN

A candidata derrotada Marie Le Pen discursou poucos minutos após o encerramento do pleito. Ela disse que ligou para felicitar o candidato vencedor e agradeceu os votos que recebeu. Considerou ainda que seu partido, a Frente Nacional, conquistou um resultado histórico nas urnas.

MACRON DEFENDE UNIDADE

O centrista Emmanuel Macron, eleito neste domingo como o novo presidente da França, disse que vai trabalhar pela unidade do país e também se comprometeu a defender a França e a Europa em seu primeiro discurso após a vitória sobre a líder da extrema direita Marine Le Pen.

Sozinho no comitê geral de sua campanha, Macron afirmou que a base de seu mandato será a "regeneração da vida pública", além de prometer que trabalhará para "restabelecer os vínculos entre a Europa e os cidadãos franceses".

"Defenderei a França, seus interesses vitais e sua imagem. Assumo o compromisso diante de vocês. Defenderei a Europa. Nossa civilização, nossa maneira de sermos livres, está em jogo.

O presidente eleito garantiu também que a França estará na linha de frente na luta contra o terrorismo, tanto dentro do próprio país como em nível internacional, independentemente do tempo que durar o conflito.

Ex-ministro da economia do atual presidente da França, François Hollande, Macron disse que uma nova página da longa história do país se abriu neste domingo e espera que esse novo capítulo seja "o da esperança e da confiança renovada".

"Brigarei com todas as minhas forças contra a divisão que nos debilita e nos abate. Servirei em vosso nome, com humildade e entrega, a partir dessa noite e durante os próximos cinco anos", afirmou o presidente eleito no discurso.

Macron parabenizou Le Pen e disse estar disposto a ouvir "as divisões que levaram a alguns votos extremistas".

"Construiremos um futuro melhor", concluiu na breve declaração, na qual destacou que será "digno" da confiança depositada em seu nome pelos franceses.

IMAGEM:Twitter-@EmmanuelMacron