Brasil

Governo promete R$ 130 bilhões para destravar obras


O ministro Dyogo Oliveira, do Planejamento, diz que os recursos estão previstos no orçamento deste ano e do ano que vem


  Por Agência Brasil 09 de Novembro de 2017 às 18:51

  | Agência de notícias da Empresa Brasileira de Comunicação.


O governo anunciou nesta quinta-feira, 9/11, o programa Avançar, que promete dar andamento a 7.439 obras paradas no país. São obras na área de mobilidade urbana, habitação, energia, dentre outras. A intenção é investir R$ 130 bilhões até o final de 2018. Mais de 3 mil municípios serão atingidos pelo programa e o governo garante que as obras serão concluídas nas datas previstas.

Os recursos sairão de três fontes. Serão R$ 42,1 bilhões do orçamento geral da União; outros R$ 29,9 bilhões sairão do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A outra fonte serão as estatais do setor de energia, principalmente a Petrobras.

DESTAQUES

Entre as obras nas rodovias, o governo destaca o trecho norte do Rodoanel de São Paulo, a duplicação da BR 381 em Minas Gerais, a pavimentação da BR 163, no Pará e a duplicação da BR 101, nos estados da Bahia, Sergipe, Alagoas e Pernambuco.

O programa também contempla o complexo aeroportuário dos aeroportos de Vitória (ES) e Maringá (PR), além do terminal de passageiros do aeroporto de Vitória da Conquista (BA).

Na área de recursos hídricos, serão retomadas obras do projeto de integração do Rio São Francisco. Segundo o governo, o projeto de integração vai beneficiar 12 milhões de pessoas em 390 municípios nos estados de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte.

Estão previstas também obras do metrô, linha 2, em Salvador; e 23 km do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) no Rio de Janeiro.

Além disso, a extensão sul da ferrovia Norte-Sul, de Ouro Verde (GO) até Estrela d'Oeste (SP).

Dyogo Oliveira, ministro do Planejamento, disse que não se trata de um programa de obras novas. Só foram incluídas obras já iniciadas. “São aquelas que estão em andamento e que vamos concluir. Os recursos são os que já estão previstos no orçamento deste ano e do ano que vem”, disse o ministro.

Dyogo ressaltou que o primeiro critério utilizado para o Avançar foi a disponibilidade orçamentária. "São obras que efetivamente têm possibilidade de entrega até o final do ano que vem", garantiu.

IMAGEM: Agência Brasil