Brasil

Governo de SP amplia horário para venda de bebidas em restaurantes


O horário limite passou das 20h para 22h, desde que o estabelecimento se encontre na fase amarela do Plano São Paulo


  Por Redação DC 19 de Fevereiro de 2021 às 15:09

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


O governo de São Paulo ampliou em duas horas a permissão para restaurantes e lojas de conveniências venderem bebidas alcoólicas, se estes estabelecimentos se encontrarem em regiões que estão na fase amarela do plano de flexibilização da quarentena.

Nestas circunstâncias, esse tipo de venda poderá ser realizada das 6h às 22h. Nas fases laranja e vermelha, permanece o limite entre 6h e 20h. Somente a partir da fase verde, a mais branda, é que essa comercialização poderá voltar a ser feita sem as restrições atuais.

A reclassificação do plano de flexibilização divulgada nesta sexta-feira, 19/02, pelo governo paulista coloca quatro regiões na fase vermelha, a mais rígida da quarentena. Elas são as regiões de Araraquara, Barretos, Bauru e Presidente Prudente.

Na fase vermelha só está autorizado o funcionamento de farmácias, mercados, padarias, lojas de conveniência, bancas de jornal, postos de combustíveis, lavanderias e hotelaria.

Os comércios e serviços não essenciais só podem atender em esquema de retirada na porta, drive-thru e entregas por telefone ou aplicativos.

Segundo o governo do estado, todas as regiões em fase vermelha estão com ocupação de UTI para pacientes de covid-19 acima de 80%.

Houve melhora nas regiões de Franca, que avança para a etapa laranja, e Sorocaba, que progride para a fase amarela.

As demais regiões permanecem sem alteração em relação à classificação atual, em vigor desde o último dia 6. Continuam na fase amarela a Grande São Paulo e as áreas de Araçatuba, Baixada Santista, Campinas e Registro. Na laranja, estão as regiões de Marília, Piracicaba, Ribeirão Preto, São João da Boa Vista, São José do Rio Preto e Taubaté.

Municípios em áreas de fase amarela podem permitir 40% de ocupação em academias, salões de beleza, restaurantes, cinemas, teatros, shoppings, concessionárias, escritórios e parques estaduais, com expediente de até dez horas diárias para restaurantes e 12 horas para as demais.

O atendimento presencial deve ser encerrado às 22h em todos os setores. Nos bares, as portas fecham mais cedo, às 20h. Eventos que geram aglomeração, como festas, baladas e shows continuam proibidos.

Na etapa laranja, o funcionamento dos serviços não essenciais é limitado a até oito horas diárias, com atendimento presencial máximo de 40% da capacidade e encerramento às 20h. O consumo local em bares está totalmente proibido.

 

IMAGEM: Pixabay






Publicidade





Publicidade







Publicidade