Brasil

Facesp e ACSP pedem que aumento do ICMS paulista seja suspenso


As entidades encaminharam ofício ao governador João Doria onde informam que a elevação do imposto irá dificultar a retomada da economia


  Por Cleber Lazo  30 de Dezembro de 2020 às 11:28

  | Repórter Facesp cleber.lazo@facesp.com.br


A Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), a Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e demais entidades representativas do empreendedorismo encaminharam ofício ao governador de São Paulo, João Doria, no qual solicitam que o aumento do ICMS seja suspenso. O reajuste do imposto está previsto para ocorrer dia 15 de janeiro.

O documento, assinado pelo presidente da Facesp e da ACSP, Alfredo Cotait Neto, e por mais 22 entidades, destaca que “a retomada das atividades, indispensável para a volta dos empregos e criação de renda, depende de estímulos por parte do governo.”

“O aumento da arrecadação fiscal, por sua vez, depende do crescimento das vendas das empresas, que será prejudicado pelo aumento dos preços resultante da maior tributação e pode anular o objetivo visado pelos decretos que elevam as alíquotas do ICMS.”

A Facesp também solicita que o parcelamento do ICMS de janeiro para o comércio, como tem ocorrido há mais de uma década, “tendo em vista o desequilíbrio de caixa resultante do aumento de compras em dezembro e o parcelamento da maior parte das vendas realizadas nesse mês”.

“As medidas estabelecidas pelos decretos vão na direção oposta, e deverão não apenas dificultar a retomada, como impactar a taxa de inflação, com seu efeito negativo sobre a correção monetária e os juros”, avalia o ofício enviado pela Facesp.

A íntegra do ofício enviado ao governador pode ser conferida CLICANDO AQUI.

 

IMAGEM: Thinkstock







Publicidade




Publicidade






Publicidade