Brasil

Datafolha: Bolsonaro tem 56% dos votos e Haddad, 44%


Diferença entre os candidatos diminuiu seis pontos percentuais em uma semana. Tanto a queda de um como a subida de outro se deram acima da margem de erro


  Por Estadão Conteúdo 25 de Outubro de 2018 às 20:12

  | Agência de notícias do Grupo Estado


O Datafolha divulgou nesta quinta-feira (25/10), sua pesquisa de intenção de voto para a Presidência da República nas eleições 2018. O candidato Jair Bolsonaro (PSL) tem 56% das intenções de voto, enquanto seu adversário, Fernando Haddad (PT), aparece com 44%.

Na comparação com o último Datafolha, a diferença entre os candidatos diminuiu de 18 pontos porcentuais para 12 pontos em uma semana. Tanto a queda de Bolsonaro quanto a subida de Haddad se deram acima da margem de erro, que é de dois pontos percentuais para mais ou menos.

A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR-05743/2018 e foi contratada pelo jornal Folha de S.Paulo e pela Rede Globo. Foram ouvidas 9.173 pessoas em 341 municípios do País. 

A margem de erro é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos, e o grau de confiança é de 95% — o que quer dizer que há 95% de chance de os resultados representarem a realidade, considerada a margem de erro.  

Esse resultado é considerado por especialistas como a maior vantagem que o candidato petista que ele tirou ao longo do segundo turno, refletindo um período de exposição negativa para o deputado do PSL.  

Em votos totais, Bolsonaro tem 48%, ante 38% de Haddad e 6% de indecisos. Há 8% de eleitores que declaram que irão votar branco ou nulo. Desses, 22% afirmam que podem mudar de ideia até o dia da eleição.

Bolsonaro deputado perdeu apoio em todas as regiões do país, embora mantenha sua liderança uniforme, exceto no Nordeste, onde Haddad tem 56% dos votos totais e o deputado, 30%.

A maior subida de Haddad ocorreu na região Norte, onde ganhou sete pontos, seguido da Sul, onde ganhou 4. Já Bolsonaro mantém vantagem sólida na área mais populosa do país, o Sudeste, com 53% a 31% do petista. O Centro-Oeste e o Sul seguem como sua maior fortaleza eleitoral, com quase 60% dos votos totais nas regiões.

Entre os eleitores mais jovens (16 a 24 anos), Haddad viu sua intenção de voto subir de 39% para 45%, onde empata tecnicamente com Bolsonaro, que caiu de 48% para 42%.

O segmento em que o petista mais subiu foi entre os que ganham mais de 10 salários mínimos. Ali, cresceu oito pontos, mas segue perdendo para Bolsonaro: 61% a 32% dos votos totais. Porém, lidera entre os mais pobres (até 2 salários mínimos), com 47% contra 37% do deputado.

Bolsonaro mantém ampla vantagem sobre Haddad entre o eleitorado masculino, embora tenha caído três pontos, a mesma da subida do petista. Nesse gênero, tem 55% a 35%, distância reduzida a empate técnico por 42% a 41% entre as mulheres.

A rejeição aos dois candidatos, marca desta eleição, permanece alta. Haddad viu a sua oscilar negativamente de 54% para 52%, enquanto a de Bolsonaro subiu três pontos, para 44%. A certeza do voto declarados de ambos é alta: 94% dos eleitores de Bolsonaro, e 91% dos pró-Haddad se dizem convictos.