Brasil

Consumidor está menos confiante em novembro


O item que mais contribuiu para a queda de 3,3 pontos na pesquisa da FGV é o que mede o otimismo em relação à situação econômica geral no futuro


  Por Estadão Conteúdo 24 de Novembro de 2016 às 10:03

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


A confiança do consumidor caiu 3,3 pontos em novembro ante outubro, na série com ajuste sazonal, de acordo com levantamento da Fundação Getulio Vargas (FGV).

Com o resultado, o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) ficou em 79,1 pontos, após seis altas consecutivas.

"Na falta de notícias positivas no fronte econômico e dada a contínua deterioração do mercado de trabalho, uma parcela dos consumidores brasileiros reduziu o otimismo em relação à perspectiva de melhora no horizonte de seis meses", afirma Viviane Seda Bittencourt, coordenadora da Sondagem do Consumidor.

Em novembro, houve diminuição da satisfação dos consumidores em relação à situação presente, mas o resultado geral do indicador foi determinado, sobretudo, pela piora das expectativas.

O Índice da Situação Atual (ISA) recuou 1,1 ponto, na passagem de outubro para novembro, para 67,9 pontos, o menor patamar desde julho, quando estava em 65,7 pontos. Já o Índice de Expectativas (IE) caiu 4,9 pontos, para 87,7 pontos, movimento que interrompe uma sequência de seis altas seguidas.

O levantamento coletou informações de 1.968 domicílios, com entrevistas entre os dias 1º e 21 de novembro.

FINANÇAS DOMÉSTICAS

A satisfação do consumidor em relação à situação financeira da família recuou 1,2 ponto na passagem de outubro para novembro, para 62,4 pontos, dentro do ICC, informou a FGV.

Mas o item que mais contribuiu para a queda de 3,3 pontos na confiança do consumidor em novembro é o que mede o otimismo em relação à situação econômica geral no futuro.

O subindicador chegou a acumular um avanço de 30,9 pontos entre junho e setembro, mas contabiliza uma perda de 6,2 pontos nos últimos dois meses, tendo recuado para 108,1 pontos em novembro.

Na separação dos resultados por faixas de renda, a redução da confiança foi generalizada. O recuo mais expressivo ocorreu entre os consumidores com renda familiar mensal entre R$ 2.100,00 e R$ 4.800,00. A próxima divulgação da Sondagem do Consumidor está prevista para o dia 23 de dezembro.

IMAGEM: Thinkstock






Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade




Publicidade



Publicidade




Publicidade