Brasil

Confiança dos paulistas está em baixa


A confiança de quem vive em São Paulo está em patamar abaixo não apenas da média nacional, mas também da média do Sudeste, de acordo com pesquisa da Associação Comercial de São Paulo (ACSP)


  Por Redação DC 21 de Agosto de 2018 às 23:00

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


O Índice de Confiança de São Paulo (IC-SP) da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) registrou 65 pontos em agosto, uma queda de quatro pontos em relação a julho (69).

O indicador varia entre zero e 200 pontos; o intervalo de zero a 100 é o campo do pessimismo e, de 100 a 200, do otimismo. A pesquisa feita entre 1º e 11 de agosto em todas as regiões do estado, com margem de erro de três pontos.

A confiança de quem vive em São Paulo está abaixo não apenas da média nacional (76), mas também da média do Sudeste (66).

“São Paulo é o estado mais industrializado do País e por isso é o que mais sente o desemprego. Além disso, beneficia-se pouco do boom da agropecuária no mercado internacional”, analisa Alencar Burti, presidente da ACSP.

De acordo com ele, a indústria paulista, embora tenha apresentado sinais de retomada, não necessariamente será um motor potente na geração de empregos.

“A indústria tem priorizado a produtividade, investindo em automação, robotização e mecanização”, diz Burti, enfatizando também que o emprego costuma ser o último indicador a melhorar após uma crise.

Segundo o IC-SP, 60% dos entrevistados pela pesquisa disseram estar inseguros em seus empregos e apenas 18% estão seguros. Mais do que isso, 83% conhecem alguém que já foi demitido nos últimos seis meses, enquanto somente 16% não conhecem.

“Emprego é uma questão muito sensível para o consumidor, e deve pautar inclusive as discussões eleitorais da região”, lembra Burti. O presidente da ACSP acrescenta que as incertezas no campo político também contribuem para a queda da confiança.

Na comparação com agosto de 2017, porém, a confiança de SP avançou cinco pontos, refletindo a melhora do cenário macroeconômico.

Metodologia

O IC-SP é elaborado pelo Instituto Ipsos a partir de 1.200 entrevistas pessoais e domiciliares, com amostra probabilística, com cota no último estágio de seleção e margem de erro de três pontos percentuais, representativa da população brasileira de áreas urbanas de acordo com dados oficiais do IBGE (Censo 2010 e PNAD 2014).

CLIQUE AQUI PARA LER A PESQUISA NA ÍNTEGRA